Deputado Kleber Rodrigues recebe o título de Parlamentar do Ano de 2020

“Estou muito feliz com essa eleição. É um reconhecimento do nosso trabalho, do empenho, da determinação de construir um mandato focado no desenvolvimento econômico do nosso Estado e na qualidade de vida do nosso povo”, destacou o deputado Kleber

O deputado estadual Kleber Rodrigues recebeu nesta quinta-feira(17) o título de Parlamentar do Ano de 2020 outorgado pelo Comitê de Imprensa da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. O colegiado, que é integrado pelos jornalistas que cobrem regularmente as atividades da Casa, conferiu ao deputado uma eleição consagradora com 26 votos.

“Estou muito feliz com essa eleição. É um reconhecimento do nosso trabalho, do empenho, da determinação de construir um mandato focado no desenvolvimento econômico do nosso Estado e na qualidade de vida do nosso povo”, destacou o deputado Kleber.

A entrega do prêmio foi feita em solenidade restrita devido à pandemia da Covid-19 e contou com a presença do presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira, dos deputados estaduais Eudiane Macêdo, Tomba Farias, Getúlio Rêgo, Francisco do PT e Hermano Moraes, do presidente da Fecomércio, Marcelo Queiroz, do superintende do Sebrae-RN, Zeca Melo, da vice-presidente da CDL, Malu Fontes, jornalistas e familiares do homenageado, os pais Severino e Aparecida Rodrigues e os filhos, entre outros.

O jornalista Oliveira Wanderley, presidente do Comitê de Imprensa, conduziu os trabalhos e destacou a importância do momento para a Assembleia Legislativa. “ O deputado Kleber Rodrigues está representando hoje seus colegas parlamentares. A sua atuação parlamentar mereceu destaque em 2020 e que esse título lhe incentive ainda mais para continuar trabalhando em prol do Rio Grande do Norte”, disse.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira, destacou o trabalho, a dedicação do deputado na condução do primeiro mandato. “ O Comitê de Imprensa ter escolhido um parlamentar desta envergadura, que já mostra sua competência no segundo ano de mandato, deixa para todos nós a sensação de que a Casa cresce e e oxigena-se com a chegada de um político deste tamanho e dessa envergadura”, declarou.

No discurso, Kleber Rodrigues dedicou o título à família e aos eleitores. “Sou todo gratidão. Pela família que tenho, pelos amigos que conquistei, pela confiança conferida a mim pelo nosso povo, pelo companheirismo de jornada dos colegas deputados e todos os colaboradores desta Casa Legislativa, pelo honroso título agora conferido a mim pelos jornalistas que integram o Comitê de Imprensa da Assembleia Legislativa”, afirmou.

O deputado elogiou o trabalho da imprensa do Rio Grande do Norte e lembrou do desafio que o cenário atual impõe aos jornalistas. “A fugacidade das notícias e a dinâmica da própria comunicação, traz novas exigências para cada profissional da comunicação. Sobre cada um dos senhores e das senhoras, sei disso, pesa uma grande responsabilidade. Recebam minha homenagem e meu aplauso por essa missão tão nobre e desafiadora”, ressaltou.

Governo destina R$ 20 bi para vacinação da população contra covid-19

Vacinação será gratuita e voluntária, disse Bolsonaro ao assinar MP
Presidente Jair Bolsonaro assina MP que destina 20 bilhões para compra de vacina contra o Corona Virus (Foto: Agência Brasil)

Agência Brasil 

 Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária], ela estará a disposição de todos no Brasil, de forma gratuita e voluntária”, disse Bolsonaro. A MP deve ser publicada ainda nesta quinta-feira em edição extra do Diário Oficial da União.

Em nota, a Secretaria-Geral da Presidência explicou que o valor cobrirá as despesas com a compra das doses de vacina, seringas, agulhas, logística, comunicação e todas as despesas que sejam necessárias para vacinar a população. O montante, ainda segundo a pasta, não é destinado a nenhuma vacina específica e poderá ser utilizado conforme o planejamento e as necessidades do Ministério da Saúde.

“A medida permitirá que as autoridades de saúde brasileiras fiquem em condições de adquirir as primeiras vacinas que tenham o seu uso autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e que apresentem possibilidade de rápida disponibilização à população brasileira”, diz a nota.

De acordo com o governo federal, o valor será financiado com o uso de superávit financeiro de exercícios anteriores e, como se trata de um crédito extraordinário, ele não depende da aprovação da Lei Orçamentária de 2021. “Embora a medida em tela seja enviada ao Legislativo para posterior confirmação, os recursos já ficarão disponíveis imediatamente e poderão ser utilizados desde já pelo Ministério da Saúde. A medida é mais uma das ações empreendidas pelo governo federal visando diminuir os graves impactos econômicos pela pandemia do covid-19”, explicou a Secretaria-Geral.

De acordo com o Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19, apresentado esta semana pelo Ministério da Saúde, o governo federal já disponibilizou R$ 1,9 bilhão de encomenda tecnológica associada à aquisição de 100,4 milhões de doses de vacina pela AstraZeneca/Fiocruz e R$ 2,5 bilhões para adesão ao Consórcio Covax Facitity, associado à aquisição de 42 milhões de doses de vacinas.

Além disso, há outros R$ 177,6 milhões para custeio e investimento na Rede de Frio, na modernização dos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIEs), no fortalecimento e ampliação da vigilância de síndromes respiratórias. Também outros R$ 62 milhões foram investidos para aquisição de mais 300 milhões de seringas e agulhas.

Francisco Diá não aceita redução salarial, deixa o ABC e destino deve ser o Ferroviário

Sem acordo para renovação, treinador deixa o Alvinegro após eliminação precoce na Série D
Foto: Augusto Gomes/GloboEsporte.com

Por GE

Chegou ao fim a era Fancisco Diá no ABC. Após a eliminação precoce da equipe na Série D do Campeonato Brasileiro, o treinador não aceitou a redução salarial sugerida para a temporada 2021 e deixou o clube. A saída foi anunciada após a proposta de renovação de contrato ser apresentada em reunião com o presidente Bira Marques e o vice-presidente de futebol, Gustavo Cartaxo, na tarde desta quarta-feira.

Campeão estadual e queda precoce na Série D

Diá chegou ao ABC em setembro de 2019 para a montagem do elenco e início dos trabalhos para 2020. No total, comandou a equipe em 42 jogos oficiais, conquistando 23 vitórias, 12 empates e sete derrotas.

Foi campeão potiguar de forma invicta, façanha que o ABC não alcançava desde 1973. Após participações discretas na Copa do Nordeste, sem classificação para as quartas de final, e Copa do Brasil, eliminado pelo Vasco na segunda fase, voltou as atenções para a Série D, com o objetivo de conquistar o sonhado acesso. Com muitos problemas durante a competição, como a perda de jogadores importantes, amargou a eliminação ainda na segunda fase do Campeonato Brasileiro, em duelo potiguar com o Globo FC.

Pazuello volta a citar fevereiro como data de possível início de campanha e cita vacinas de Oxford e CoronaVac

Ministro diz que previsão depende de manutenção do plano de Butantan e da Fiocruz de apresentar a fase 3 dos estudos e toda a documentação das fases 1 e 2 ainda em dezembro.
Ministro da Saúde Eduardo Pazuello (Foto: Carolina Antunes/IG)

Por G1

As primeiras vacinas contra a Covid-19 podem estar disponíveis para distribuição e aplicação na população brasileira a partir de meados de fevereiro, segundo o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. O ministro citou a previsão considerando o atual estágio dos imunizantes em desenvolvimento por AstraZeneca/Oxford e Sinovac/Butantan.

O mês já tinha sido citado pelo ministro em 8 de dezembro durante reunião com governadores. Naquela ocasião, Pazuello afirmou esperar que a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca tenha o registro aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no fim de fevereiro.

Na manhã desta quarta-feira (16), o ministro citou também a CoronaVac, que é desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac e que tem parceria de produção com o Instituto Butantan.

“Se nós conseguirmos manter o planejado do Butantan e da Fiocruz de apresentar a Fase 3 dos estudos e toda a documentação das Fases 1 e 2 ainda em dezembro à Anvisa e solicitar o registro, nós teremos janeiro para análise da Anvisa e possivelmente em meados de fevereiro para frente nós estejamos com essas vacinas recebidas e registradas para iniciar o plano”, disse o ministro.

A Fiocruz tem parceria com a AstraZeneca para futura produção local da candidata a vacina da farmacêutica britânica, enquanto o Butantan testa e já começou a envasar no Brasil doses da CoronaVac, potencial vacina contra o coronavírus do laboratório chinês Sinovac.

Pazuello disse também que, do que depender do governo federal, a vacinação contra a Covid-19 não será obrigatória.

Ele assegurou ainda que, para os casos de vacinas com registro definitivo junto à Anvisa, não será exigida a assinatura de um termo de consentimento para receber o imunizante. O ministro afirmou, no entanto, que o documento será exigido na eventualidade de uma autorização para uso emergencial, que ele disse não ser uma campanha de vacinação, mas sim algo voltado para um grupo específico.

“Pra que essa ansiedade, essa angústia?”

Ainda durante o evento, Pazuello afirmou que há “desinformação” sobre a capacidade que o Brasil tem de conduzir o programa de imunização.

Café da manhã marca encerramento das atividades da CCJ

A Comissão de Constituição, Justiça e Redação, encerra o ano de 2020 com 34 reuniões ordinárias e 7 reuniões extraordinárias. Neste período 366 projetos de lei foram deliberados.
Foto:Assessoria/Kleber Rodrigues

Um café da manhã oferecido pelo deputado Kleber Rodrigues(PL) marcou o encerramento das atividades da Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. Como presidente da CCJ, Kleber Rodrigues agradeceu o empenho de todos e destacou que após um ano muito difícil para o RN, a CCJ não esmoreceu e, graças ao empenho do presidente Ezequiel Ferreira, dos deputados e servidores da Casa, o trabalho foi realizado com sucesso.

A Comissão de Constituição, Justiça e Redação, encerra o ano de 2020 com 34 reuniões ordinárias e 7 reuniões extraordinárias. Neste período 366 projetos de lei foram deliberados. “Agradeço a confiança em mim depositada como presidente desta Comissão, aos demais membros, e aos servidores que tão brilhantemente nos assessoraram nesta caminhada. Todos os servidores, em especial, o do TI, a TV Assembleia, a Assessoria de Comunicação desta Casa pela cobertura dos trabalhos e a todos os assessores da Procuradoria Legislativa, que nos ajudaram de forma brilhante para alcançarmos nossos resultados”, destacou Kleber Rodrigues.

O deputado destacou ainda a importância de presidir a Comissão de Constituição, Justiça e Redação. “Presidir a CCJ foi uma das mais nobres tarefas que recebi. Sei a importância desta Comissão para analisar as matérias que chegam a esta Casa Legislativa. Aqui, tomamos importantes decisões em benefício do norte-rio-grandenses”, concluiu Kleber Rodrigues .

Governo anuncia hoje plano nacional de vacinação contra covid-19

Solenidade será às 10h no Palácio do Planalto
(Foto: Reuters/Athit Perawongmetha)

Agência Brasil

O governo lançará hoje (16), em cerimônia às 10h no Palácio do Planalto, o Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19. Elaborado pelo Ministério da Saúde, o documento já havia sido entregue no dia 12 pelo advogado-geral da União, José Levi, ao ministro Ricardo Lewandovski, relator das ações que tratam da obrigatoriedade da vacina e outras medidas de combate à pandemia.

O plano está dividido em dez eixos, que incluem descrições sobre a população-alvo para a vacinação; sobre as vacinas já adquiridas pelo governo e as que estão em processo de pesquisa; a operacionalização da imunização; o esquema logístico de distribuição das vacinas pelo país; e as estratégias de comunicação para uma campanha nacional. O documento entregue não indica data para início da vacinação.

Grupos prioritários

O Plano Nacional de Vacinação contra a covid-19, apresentado pelo governo, prevê quatro grupos prioritários que somam 50 milhões de pessoas, o que vai demandar 108,3 milhões de doses de vacina, já incluindo 5% de perdas, uma vez que cada pessoa deve tomar duas doses em um intervalo de 14 dias entre a primeira e a segunda injeção.

O primeiro grupo prioritário, a ser vacinado na fase 1, é formado por trabalhadores da saúde (5,88 milhões), pessoas de 80 anos ou mais (4,26 milhões), pessoas de 75 a 79 anos (3,48 milhões) e indígenas com idade acima de 18 anos (410 mil). A fase 2 é formada por pessoas de 70 a 74 anos (5,17 milhões), de 65 a 69 anos (7,08 milhões) e de 60 a 64 anos (9,09 milhões).

Na fase 3, a previsão é vacinar 12,66 milhões de pessoas acima dos 18 anos que tenham as seguintes comorbidades: hipertensão de difícil controle, diabetes mellitus, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença renal, doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, indivíduos transplantados de órgão sólido, anemia falciforme, câncer e obesidade grave (IMC maior ou igual a 40).

Na fase 4, deverão ser vacinados professores do nível básico ao superior (2,34 milhões), forças de segurança e salvamento (850 mil) e funcionários do sistema prisional (144 mil). O Ministério da Saúde pondera, no documento, que os grupos previstos ainda são preliminares e poderão ser alterados.

Vacinas

Segundo o plano, o governo federal já garantiu 300 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 por meio de três acordos: Fiocruz/AstraZeneca (100,4 milhões de doses até julho de 2020 e mais 30 milhões de doses por mês no segundo semestre); Covax Facility (42,5 milhões de doses); Pfizer (70 milhões de doses ainda em negociação).

Até agora, nenhum imunizante está registrado e licenciado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), etapa prévia obrigatória para que a vacinação possa ser realizada.

“De acordo com o panorama da OMS [Organização Mundial da Saúde], atualizado em 10 de dezembro de 2020, existem 52 vacinas covid-19 candidatas em fase de pesquisa clínica e 162 candidatas em fase pré-clínica de pesquisa. Das vacinas candidatas em estudos clínicos, há 13 em ensaios clínicos fase 3 para avaliação de eficácia e segurança, a última etapa antes da aprovação pelas agências reguladoras e posterior imunização da população. No Brasil, o registro e licenciamento de vacinas é atribuição da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), pautados na Lei nº 6.360/1976 e regulamentos técnicos como a RDC nº 55/2010”, diz um trecho do plano.

Logística

Para operacionalizar a campanha nacional de vacinação, o plano do governo prevê capacitação dos profissionais de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS) e também um esquema de recebimento, armazenamento, expedição e distribuição dos insumos, que são o próprio imunizante, além das seringas e agulhas.

O principal complexo logístico será a partir do aeroporto internacional de Guarulhos (SP), na sede da empresa VTC Logística, que tem contrato com o Ministério da Saúde. O galpão da empresa possui 36 mil metros quadrados nas imediações do aeroporto e conta com ambientes climatizados, como docas e câmaras frias. Há também estruturas menores em Brasília, Rio de Janeiro e Recife.

Também está prevista a entrega da carga embalada por modal rodoviário para Santa Catarina, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Goiás, Distrito Federal, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e outras unidades da federação que fiquem em até 1.400 quilômetros de raio dos centros de distribuição.

O governo também informa já ter acordos firmados com companhias aéreas, como Latam e Azul, além de outras empresas de carga aérea, para o transporte até as capitais da região Norte do país. Pelo plano, a frota será rastreada 100% por satélite e a segurança do transporte, em determinadas situações durante o deslocamento, ocorrerá por conta da União.

Orçamento

Ainda de acordo com o plano, o governo federal já disponibilizou R$ 1,9 bilhão de encomenda tecnológica associada à aquisição de 100,4 milhões de doses de vacina pela AstraZeneca/Fiocruz e R$ 2,5 bilhões para adesão ao Consórcio Covax Facitity, associado à aquisição de 42 milhões de doses de vacinas.

Além disso, há outros R$ 177,6 milhões para custeio e investimento na Rede de Frio, na modernização dos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIEs), no fortalecimento e ampliação da vigilância de síndromes respiratórias.

Também outros R$ 62 milhões foram investidos para aquisição de mais 300 milhões de seringas e agulhas.

Pazuello: ‘Vacinação da Pfizer pode começar em dezembro ou janeiro’

O ministro não descartou que isso aconteça também com as candidatas da AstraZeneca/Oxford ou do Instituto Butantan. No entanto, esse prazo valeria apenas no caso de uma autorização emergencial.
Ministro da Saúde Eduardo Pazuello (Foto: Carolina Antunes/IG)

CNN Brasil 

Em entrevista exclusiva à CNN nesta quarta-feira (9), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que a vacinação contra Covid-19 no Brasil com o imunizante desenvolvido pela Pfizer/BioNTech pode começar entre dezembro e janeiro.

“Se a Pfizer conseguir a autorização emergencial e nos adiantar alguma entrega, isso [o início da vacinação] pode acontecer no final de dezembro ou em janeiro”, afirmou. “Isso em quantidades pequenas, de uso emergencial”.

“Estamos fechando o memorando de entendimento com a Pfizer. É a vacina que está mais adiantada, mas mesmo ela ainda não tem registro”, afirmou.

O ministro não descartou que isso aconteça também com as candidatas da AstraZeneca/Oxford ou do Instituto Butantan. No entanto, esse prazo valeria apenas no caso de uma autorização emergencial.

Para obtenção do registro, dependeria do desenvolvimento e da aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Nesse caso, a aplicação poderia acontecer já entre janeiro e fevereiro, disse Pazuello.

Pazuello garantiu que, se a Coronavac receber o aval da agência reguladora, ela será usada no plano de imunização. “A vacina que estiver registrada na Anvisa e garantida sua eficácia e segurança será comprada e distribuída para todos os brasileiros”, afirmou.

Veja mais sobre a reportagem aqui.

MPF denuncia ex-governadora do RN e ex-presidente da OAS por desvio de R$ 16 milhões na construção da Arena das Dunas

Esquema de corrupção e lavagem de dinheiro é ligado a investigações da Operação Lava Jato.
Arena das Dunas (Foto: Augusto César Gomes/G1)

G1 RN

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou a ex-governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini Rosado, seu marido Carlos Augusto Rosado, o ex-presidente da Construtora OAS, José Pinheiro Filho (Léo Pinheiro) e outras sete pessoas por um suposto esquema de corrupção que teria desviado cerca de R$ 16 milhões da construção da Arena das Dunas para a Copa do Mundo de 2014, em Natal.

Rosalba é a atual prefeita de Mossoró, segundo maior município do Rio Grande do Norte, localizado na região Oeste. Segundo o MPF, o desvio de recursos foi comprovado por meio da “Operação Mão na Bola”, deflagrada em dezembro de 2019 pelo MPF e Polícia Federal.

De acordo com o órgão, as investigações apontaram pagamento de propina, entre 2011 e 2014, com valores do financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a construção da arena. Os valores teriam sido pagos por meio de empresas subcontratadas para prestação de serviços fictícios ou superfaturados, a fim de gerar “caixa dois” com “dinheiro vivo”.

O objetivo das propinas teria sido assegurar o contrato de parceria público-privada da Arena das Dunas com os agentes públicos envolvidos e evitar greves de trabalhadores que pudessem comprometer a execução da obra junto ao sindicato local.

A denúncia do MPF é fundamentada em depoimentos de testemunhas e réus colaboradores, como o próprio Léo Pinheiro, outros executivos da OAS e do doleiro Alberto Youssef, além de provas colhidas com a Receita Federal.

Veja mais aqui.

Detran-RN suspende atendimento em unidade de Natal após funcionários testarem positivo para Covid-19

Atendimento ao público no setor de Registro de Veículos na sede do órgão, no bairro da Cidade da Esperança, fica suspenso até segunda-feira (14).
Foto: Reprodução/DETRAN RN

G1 RN

O Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Norte anunciou nesta terça-feira (8) a suspensão do atendimento ao público no setor de Registro de Veículos na sede do órgão, localizada no bairro da Cidade da Esperança, em Natal. De acordo com nota enviada à imprensa, os ambientes onde ocorrem os atendimentos serão sanitizados. A medida foi tomada após três funcionários testarem positivo para Covid-19. Outros cinco colaboradores ainda aguardam os resultados dos exames.

Os atendimentos serão interrompidos de quarta (9) a sexta-feira (11), sendo retomados apenas na segunda-feira (14). Os usuários que tinham agendamentos para este período devem remarcar pelo site do Detran-RN.

Veja nota do Detran-RN:

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran-RN) informa que o atendimento ao público no setor de REGISTRO DE VEÍCULOS na unidade sede, em Natal, estará suspenso temporariamente a partir desta quarta-feira, dia 9 de dezembro, retornando apenas na próxima segunda-feira (14). Os ambientes onde ocorrem esses atendimentos passarão por uma ação de sanitização.

As pessoas que haviam realizado agendamento para o período compreendido entre esta quarta-feira (9), e a sexta-feira (11) devem acessar novamente os canais de agendamento do Detran-RN para programar uma nova data. O Detran-RN realiza aproximadamente 300 atendimentos diários para “registro de veículos”, somente na unidade sede do Departamento na capital. O atendimento nas demais unidades não terá qualquer alteração, por enquanto.

O Detran-RN lamenta os transtornos, mas ressalta a importância das ações para preservação à saúde da população e todos os seus colaboradores.

Policia Civil prende, em Macaíba, suspeito por receptação

As diligências foram iniciadas após o recebimento de denúncias anônimas, informando que, na região da Baixa, estaria ocorrendo uma concentração de suspeitos armados.
Imagem: Reprodução/Internet

Por Polícia Civil RN

Policiais civis da Delegacia Municipal de Macaíba prenderam em flagrante, na manhã desta segunda-feira (07), Kattson Magnum da Costa Lima, conhecido como “Kaká”, 31 anos. Ele foi detido na região da Baixa, localizada no Centro de Macaíba.

As diligências foram iniciadas após o recebimento de denúncias anônimas, informando que, na região da Baixa, estaria ocorrendo uma concentração de suspeitos armados. No local indicado, os policiais civis confirmaram a veracidade dos fatos e, em seguida, realizaram a prisão de Kattson Magnum.

Durante a ação, foi apreendido com o suspeito um material que havia sido roubado no mês de setembro de 2020, razão pela qual Kattson Magnum foi autuado em flagrante, pelo crime de receptação.

De acordo com as investigações, ele já respondia pela suspeita da prática dos crimes de tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. Kattson Magnum foi conduzido até a delegacia e encaminhado ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça.

A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181 ou pelo número da Delegacia Municipal de Macaíba: 98114-4042.