Sesap afirma que síndrome inflamatória observada em crianças e adolescentes pode estar relacionada à Covid-19

A Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde já haviam alertado médicos e profissionais de saúde sobre a síndrome e a relação com o Sars-Cov-2, o vírus que causa a Covid-19.
Foto: Reprodução/Internet

Tribuna do Norte 

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio Grande do Norte (Sesap) alertou nesta sexta-feira, 31, sobre uma nova inflamação que afeta crianças e adolescentes e que pode estar ligada ao novo coronavirus. A inflamação se chama Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica e já foi registrada em pelo menos dez crianças no Rio Grande do Norte, segundo a subcoordenadoria de Vigilância em Saúde da Sesap, Alessandra Lucchesi. A Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde já haviam alertado médicos e profissionais de saúde sobre a síndrome e a relação com o Sars-Cov-2, o vírus que causa a Covid-19.

A síndrome pode ser uma das complicações da Covid-19. A princípio, os sintomas mais comuns são febre alta e persistente e, em alguns casos, problemas cardíacos.  Entretanto, a Sesap ainda investiga os casos. “A Covid-19 é muito nova, então ainda estamos aprendendo bastante com o desenrolar dessa pandemia e a evolução clínica dessa doença. A partir disso, há uma preocupação tanto do governo federal quanto do governo estadual para investigação pós-Covid”, afirmou Luchesi nesta sexta-feira, 31.

A recomendação para famílias que tenham crianças que apresentam febre alta é de levar o mais rápido possível para uma unidade de saúde e descrever se a criança teve contato com pessoas que foram infectadas pelo novo coronavirus ou se ela mesma já tem um diagnóstico confirmatório para a Covid-19.

As crianças que apresentaram a doença no Rio Grande do Norte foram atendidas pelo Hospital Infantil Maria Alice Fernandes, localizado em Natal. A Sesap começou a investigar os casos com mais atenção há 10 dias, a partir de uma notificação do Ministério da Saúde no dia 20 de julho que alertou sobre a possibilidade da síndrome.  Segundo Lucchesi, os casos ainda estão em investigação e não há muitos detalhes sobre a síndrome.

A subcoordenadoria garantiu que as crianças atendidas não precisam de ventilação mecânica,  utilizada nos casos mais graves de Covid-19.  No entanto,  a Sesap ainda não possui mais detalhes sobre estes casos. “Somente com a investigação dos casos é que vamos ter as condições de interferir qual o tempo médio de internação, o tratamento adequado, como se dá essa infecção “, disse.

Uso da dexametasona em pacientes com covid é aprovado pela UFRN

“Vários estudos reforçam o posicionamento. Um dos mais importantes foi publicado no News England Journal of Medicine, no dia 16 de julho,  que reforça a utilidade, ainda que pequena, da dexametasona. É um corticoide que impacta na sobrevida das pessoas com covid grave”.
Diretor do Departamento de Infectologia da UFRN, Kleber Luz chama atenção para o uso de remédios (Foto: Magnus Nascimento/Tribuna do Norte)

Tribuna do Norte

Professores do Departamento de Infectologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (DINF/UFRN) realizaram uma reunião e apresentaram recomendações, com base nas evidências científicas disponíveis, a serem seguidas pelos médicos e comunidade acadêmica para o tratamento de pacientes com covid-19. O grupo de professores aprova o uso do medicamento dexametasona, que atua no sistema imune

“Um ensaio clínico sugere que baixa dose dexametasona (6mg/dia) tenha benefício no manejo de pacientes graves, com necessidades de oxigênio suplementar “, destaca documento publicado após a reunião dos infectologista realizada no dia 16 de julho. Baseados no uso em pacientes graves ou no contexto de ensaios clínicos randomizados e aprovados pelas agências regulatórias, os especialistas da UFRN também admitem o uso de imuneterapia, através de inibidores, imunoglobulina anti-SARS-CoV-2 ou plasma de convalescente.

“Vários estudos reforçam o posicionamento. Um dos mais importantes foi publicado no News England Journal of Medicine, no dia 16 de julho,  que reforça a utilidade, ainda que pequena, da dexametasona. É um corticoide que impacta na sobrevida das pessoas com covid grave”, citou o professor Kleber Luz.

Outra recomendação é a do uso de anticoagulante. “As evidências existentes sugerem que todos pacientes internados devem receber profilaxia antitrombótica. Anticoagulação plena deve ser iniciada tão logo surjam sinais clínicos e/ou radiológicos de tromboembolismo”, afirma a nota dos acadêmicos.

A UFRN está envolvida em estudos para desenvolver medicamentos que possam inibir,  ou diminuir,  a atividade inflamatória em pacientes com Covid-19. “Quando a pessoa tem o COVID-19, além da replicação viral, entra em um processo inflamatório. Essa droga visa combater essa inflamação que posa colaborar para o mau prognóstico das pessoas”, explica Kleber.

Veja mais aqui.

Resolução coloca Ivermectina entre medicamentos de controle especial

Com a medida, farmácias e drogarias só poderão vender a medicação mediante prescrição de um profissional legalmente habilitado.
Com a resolução, a Ivermectina só pode ser comprada com prescrição médica (Foto: divulgação/internet)

Tribuna do Norte 

A edição desta quinta-feira (23) do Diário oficial da União (DOU) traz uma resolução que atualiza a lista de medicamentos de controle especial. Dentre eles está a Ivermectina. A medida leva em consideração a Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII) relacionada ao novo coronavirus e já passa a vigorar a partir de hoje. Um comunicado da Federação Brasileira de Farmácias (Febrafar) foi enviado aos associados com a nova informação.

Com a medida, farmácias e drogarias só poderão vender a medicação mediante prescrição de um profissional legalmente habilitado. Outros remédios que contenham substâncias do produto também se enquadram nesse padrão.

São listadas, junto à ivermectina, a cloroquina, a hidroxicloroquina e a nitazoxanida. No caso da cloroquina,  a resolução não se aplica aos medicamentos à base do produto distribuídos no âmbito de programas públicos governamentais.

A Resolução de Diretoria Colegiada (RDC) n° 405/2020 foi deliberada em reunião da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na terça (21) e anunciada nessa quarta-feira (22).

Comunicado às farmácias e drogarias 

Com a decisão, a Febrafar comunicou às farmácias e drogarias associadas pelo Brasil da decisão e quais são os procedimentos necessários a partir de agora. As novas entradas e aquisições da Ivermectina precisa ser transmitidas ao Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC). Além das demais movimentações, tais como saídas, perdas e transferências, que também precisam ser escrituradas no (SNGPC).

No caso do estoque  dos medicamentos previamente adquirido, o comunicado diz que “as movimentações poderão ser registradas internamente, por meio de registro manual ou em sistema informatizado do estabelecimento, sem necessidade de transmissão ao SNGPC”.

O descumprimento das disposições contidas na resolução constitui infração sanitária, nos termos da Lei n°6.437/77 sem prejuízo das responsabilidades civil, administrativa e penal  cabíveis.

Procura pela ivermectina em Natal 

Sem a necessidade da prescrição médica,  a procura pela ivermectina chegou a zerar o estoque do medicamento em estabelecimentos da capital potiguar durante a pandemia. A busca pelo remédio começou quando estudos sobre os eventuais benefícios dele no tratamento da covid-19 foram difundidos no país,  embora não fossem conclusivos.

A ivermectina foi adotada no protocolo municipal de Natal para a prevenção ao contágio do novo coronavirus.  Doses do medicamento já foram concedidas a moradores da cidade, acompanhadas de instrução para medicação.

Ocupação de leitos cai para menos de 80%, mas ainda é preciso manter cuidados

Momento exige cautela para conter a contaminação e permitir retomada gradual das atividades econômicas
Foto:Elisa Elsie/ASSECOM RN

Ao participar da entrevista coletiva para atualização dos dados epidemiológicos e prestação de contas das ações do Governo no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus nesta segunda-feira, 13, a governadora Fátima Bezerra disse que o RN conseguiu reduzir a taxa geral de ocupação de leitos críticos para menos de 80% e manter a taxa de transmissibilidade abaixo de 1.

“Estamos alcançando a meta de 80% de ocupação nos leitos de UTI. Isso é resultado de um governo que tem compromisso em primeiro lugar com a defesa da vida do povo do RN. Não temos medido esforços para garantir assistência à saúde do nosso povo. O dia de hoje expressa esperança e confiança, na medida em que estamos zerando a fila de pacientes para leitos de UTI e reduzindo a ocupação geral de leitos em todo o Rio Grande do Norte”.

A chefe do Executivo estadual saudou toda a equipe da Sesap e demais órgãos da administração pelo empenho na força tarefa para enfrentamento à Covid. “Esse trabalho permitiu que ao longo de quatro meses conseguíssemos instalar 542 leitos para pacientes Covid no RN, dos quais 281 leitos são do tipo críticos e 229 leitos, clínicos. Desses, 32 são leitos ofertados pela Prefeitura de Natal que receberam equipamentos do Estado. Sozinho, o governo estadual garantiu 510 leitos críticos e clínicos para os pacientes com Covid em todas as regiões”.

Os bons resultados, ressaltou Fátima Bezerra, não significam que a pandemia já passou. “O cenário ainda requer muito cuidado. O Governo está fazendo sua parte, garantindo assistência à saúde da população. E a sociedade precisa fazer a parte que lhe cabe usando máscaras, respeitando as medidas de distanciamento e de isolamento ainda em curso”.

A governadora também alertou para as responsabilidades das prefeituras: “Faço um chamamento às prefeituras por que têm papel fundamental nesse contexto. Cabe a elas o cumprimento rigoroso dos protocolos sanitários e das medidas restritivas ainda em curso. Estamos trabalhando com a perspectiva de retomar as atividades econômicas na próxima quarta-feira e para isso se faz necessário o alerta à sociedade, prefeituras e aos empresários para o cumprimento rigoroso dos protocolos sanitários”.

Fátima afirmou que o Pacto pela Vida continua e que o Governo mantém a disponibilidade das forças de segurança para, em apoio às prefeituras, garantir o cumprimento das medidas sanitárias.

MAIS LEITOS

“Nosso trabalho para disponibilizar mais leitos continua. Nos últimos 10 dias fizemos esforço extraordinário e conseguimos instalar mais de 50 leitos de UTI. E vamos abrir nos próximos dias vagas no Hospital João Machado, em Natal, em Santo Antônio, João Câmara e Mossoró. Também está prevista a abertura de novos leitos em Assu, Apodi e Currais Novos”, adiantou Fátima.
O contrato com a Organização Social (OS) Avante foi inteiramente cumprido neste sábado, 11, informou a chefe do Executivo estadual. A entidade entregou todos os leitos contratualizados para o Hospital João Machado (20) e para o Hospital Regional de Macaíba (10). Uma parceria do Governo com a Prefeitura de Parnamirim permitiu que a cidade pudesse dispor de 10 leitos que estão desde a semana passada no Regula RN.

“Apesar dos esforços para assistência à Covid que estamos fazendo, se os empresários não fizerem a retomada organizada das atividades econômicas, obedecendo todos os protocolos, esse esforço terá sido em vão, haja vista o que vem acontecendo em outros estados”, lembrou Fátima.

DADOS

A taxa geral de ocupação de leitos no Rio Grande do Norte chegou a 78,60%. A região Oeste registra o maior percentual (94%), seguida da região Metropolitana de Natal (81%), Seridó (73%), Mato Grande (71%) e Pau dos Ferros (50%). Os casos confirmados somam 39.598, enquanto há 52.274 suspeitos, 62.000 descartados, 1.399 óbitos confirmados (04 nas últimas 24 horas) e 187 óbitos em investigação.

“Os números mostram o esforço do governo em abrir leitos, algo muito intenso nos últimos dias, particularmente na região metropolitana de Natal. Sabemos o risco que teríamos para a população se não abríssemos leitos para assistir as pessoas em todas as regiões. São boas notícias, mas temos ainda 669 pessoas internadas com Covid em todo o Estado, sendo 340 pessoas em leitos críticos. É preciso usar máscara, manter distanciamento e só sair quando necessário. Isso é tarefa de todos. Se não soubermos enfrentar esse momento e não tomar todos os cuidados, poderemos voltar a ter notícias negativas novamente”, alertou Petrônio Spinelli, secretário adjunto de Saúde do Estado.

Disque Previsão ao Coronavirus – 0800 281 4012 | das 7h às 23h | informações e esclarecimentos | Acolhimento Psicológico | Doações RN+Unido

Deputado Kleber Rodrigues recebe confirmação de abertura de leitos de UTI em Macaíba e São José do Mipibu

O secretário confirmou ao deputado que na próxima quarta-feira (8) serão abertos 10 leitos de UTI na cidade de Macaíba e 10 leitos de UTI neo-natal em São José do Mipibu
Foto: Assessoria/Deputado Estadual Kleber Rodrigues

O deputado estadual Kleber Rodrigues(PL) aproveitou a sessão especial,  realizada de forma remota na tarde desta quinta-feira (2), na Assembleia Legislativa para cobrar ao secretário estadual de saúde, Cipriano Maia, uma atenção do governo aos municípios da região Agreste e a cidade de Macaíba.

O secretário confirmou ao deputado que na próxima quarta-feira (8) serão abertos 10 leitos de UTI na cidade de Macaíba e 10 leitos de UTI neo-natal em São José do Mipibu assim que a pandemia terminar.

“Mostrei ao secretário que nossa região é a segunda maior do estado e está precisando de ampliação dos serviços de saúde. Precisamos de novos leitos, principalmente de UTI, nos municípios do Agreste”, disse o deputado.

O secretário Cipriano Maia de Vasconcelos esteve na Assembleia Legislativa explicando as ações da Secretaria de Saúde no combate à COVID-19.

Coordenado pelo presidente da Casa deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), durante a sessão o secretário prestou esclarecimentos sobre a operação e falou sobre os recursos que já foram aplicados pela Secretaria e respondeu questionamentos dos parlamentares.

Governo abre chamada pública destinada aos Hospitais privados para contratação de UTIs

Inicialmente, o Hospital Memorial, em Natal, deve abrir mais sete UTIs até o próximo sábado, pelo SUS.
Foto: Elisa Elsie/ASSECOM RN

Na entrevista coletiva da manhã desta quinta-feira, 18, Petrônio Spinelli, secretário adjunto de Saúde do Estado, disse que, para reforçar a oferta de assistência aos casos de Covid-19, o Governo publicou uma chamada pública para hospitais privados disponibilizarem leitos de UTI pelo SUS e que, inicialmente, o Hospital Memorial, em Natal, deve abrir mais sete UTIs até o próximo sábado.

Ele informou também que para ampliar a oferta de leitos críticos “todo o Governo está realizando uma grande força tarefa, inclusive com a participação direta da governadora Fátima Bezerra, para desbloquear leitos nos Hospitais Giselda Trigueiro e João Machado em Natal”. Leitos bloqueados são aqueles que precisam de algum equipamento e/ou de profissionais para trabalhar.

Spinelli voltou a alertar que é muito importante que as prefeituras abram leitos nas cidades. “O desafio é de todos. Os Planos de Contingência municipais devem ser implantados efetivamente. Esta situação dramática de hoje só vai melhorar se o Pacto pela Vida se intensificar e a sociedade aumentar o isolamento social. O Pacto pela Vida é extremamente necessário, particularmente em Natal e região metropolitana da capital”, reforçou.

DADOS

A ocupação de leitos continua alta. Hoje os leitos Covid estão 100% ocupados na região Oeste, em Pau dos Ferros (Alto Oeste) e em Guamaré (Mato Grande). Em Natal e Grande Natal a ocupação é de 96,8%. No Seridó, 74%.

A fila de regulação tem 12 pacientes com prioridade 1 e 77 prioridade 2. Pacientes com estas prioridades aguardam transferência para UTIs e semi-utis. A demanda maior acontece em Natal e municípios da região metropolitana.

Os casos suspeitos são 24.641, confirmados 15.889, descartados 24.974, óbitos 655 (11 confirmados nas últimas 24 horas) e 109 óbitos em investigação. Há 760 pessoas estão internadas em hospitais das redes pública, privada e filantrópica – 358 em leitos críticos.

Covid: número de internados reflete comportamento social dos últimos 15 dias

“Quanto mais pessoas circulando, maior a probabilidade de novos casos de Covid”, alertou o secretário adjunto, Spinelli. .
Foto: Elisa Elsie/ASSECOM RN

A Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap) registra nesta quarta-feira, 17, a quantidade de 764 pessoas internadas, todas confirmadas ou suspeitas de Covid-19, em leitos críticos (356) e clínicos nos hospitais das redes pública, privada e filantrópica. São 13 pessoas a mais que ontem. Esta informação foi dada nesta manhã pelo secretário adjunto da saúde pública, Petrônio Spinelli, na entrevista coletiva diária de apresentação dos dados epidemiológicos da pandemia do novo coronavírus.

“Os dados de hoje refletem o comportamento social nos últimos 15 dias. Quanto mais pessoas circulando, maior a probabilidade de novos casos de Covid. Por isso insistimos que é preciso aumentar o isolamento e ficar em casa. Só sair para atender necessidades essenciais. Respeitar o Pacto pela Vida é fundamental”, afirmou Petrônio.

A taxa de ocupação de leitos permanece alta e muito distante dos 70% necessários para iniciar o plano de flexibilização das medidas de proteção para o retorno às atividades normais. Nesta quarta-feira, 100% dos leitos Covid na região Oeste e em Pau dos Ferros estão ocupados. Em Natal e região metropolitana, a ocupação é de 95,8%. No Seridó, o índice chega a 77,7%. Na região do Mato Grande, os 3 leitos de Guamaré estão com ocupação de 100%.

Os casos suspeitos são 24.136, sendo 15.690 confirmados, 24.973 descartados, 626 óbitos (41 a mais que nesta terça-feira, sendo 8 confirmados apenas nas últimas 24 horas e os demais ocorridos em dias anteriores) e há 129 óbitos em investigação.

LEITOS

Os hospitais de João Câmara e Santo Antônio (regiões Mato Grande e Agreste, respectivamente) e São Paulo do Potengi (região Central) vão receber leitos em breve, conforme entendimentos que estão sendo mantidos junto às prefeituras dos municípios. Há expectativa de abertura de leitos em Pau dos Ferros, Caicó e Mossoró, assim como na cidade de Caraúbas, onde há 3 leitos de estabilização com respiradores, e em Macau, onde o Governo busca parceria com a prefeitura.

A fila de regulação de leitos hospitalares tem 10 pacientes com prioridade 1, outros 57 com prioridade 2, mais 79 com prioridade 3 e outros 3 com prioridade 4. As 67 pessoas com prioridades 1 e 2 estão em serviço de pronto atendimento com profissionais, medicamentos e respiradores; no entanto, o ideal é estarem em uma UTI.

Petrônio Spinelli explicou que há dificuldade para aquisição de medicamentos como relaxantes musculares, necessários ao procedimento de intubação, não somente no RN, mas em todo o Brasil, mas que o Governo do RN está unindo esforços para contornar a situação.

Estudo de Oxford vê dexametasona como ‘grande avanço’ no tratamento da Covid-19

Testes mostraram que a dexametasona, que é usada para diminuir inflamações de outras doenças, reduziu as taxas de mortalidade em cerca de um terço entre pacientes de Covid-19 hospitalizados em estado grave.
Ilustração do coronavírus criada pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças

CNN Brasil

Um estudo conduzido por pesquisadores da Universidade de Oxford, na Inglaterra, aponta a dexametasona, um esteroide barato e amplamente usado, como um “grande avanço” no combate à doença respiratória provocada pelo novo coronavírus.

Resultados de testes anunciados nesta terça-feira (16) mostraram que a dexametasona, que é usada para diminuir inflamações de outras doenças, reduziu as taxas de mortalidade em cerca de um terço entre pacientes de Covid-19 hospitalizados em estado grave.

“Este é um resultado que mostra que, se pacientes que têm Covid-19 e estão ligados a ventiladores ou no oxigênio recebem dexametasona, isso salvará vidas, e o fará a um custo notavelmente baixo”, disse Martin Landray, professor da Universidade de Oxford e co-líder do teste conhecido como Recovery.

Entre os pacientes de Covid-19 que não precisavam de auxílio respiratório, não houve benefício com o tratamento de dexametasona.

“Será muito difícil qualquer remédio substituir este, dado que, por menos de 50 libras esterlinas (cerca de 325 reais), você pode tratar oito pacientes e salvar uma vida”, disse.

Peter Horby, pesquisador e co-líder do teste, disse que a dexametasona é “o único remédio até agora que reduziu a mortalidade — e a reduz significativamente”.

“É um grande avanço”, afirmou. “A dexametasona não é cara na prateleira e pode ser usada imediatamente para salvar vidas em todo o mundo.”

Atualmente, não existem tratamentos ou vacinas aprovados contra Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, que já matou mais de 431 mil pessoas globalmente.

O teste Recovery comparou as reações de cerca de 2.100 pacientes, que foram designados de forma aleatória para receber o esteroide, com cerca de 4.300 pacientes que não receberam o medicamento.

Isolamento e feriadão: Governo reforça a importância de ficar em casa

A taxa de isolamento está em 41,3%, quando o ideal seria acima de 60%. Medida é a mais eficaz no combate à pandemia.
Foto: Demis Roussos/ASSECOM RN

Com o feriadão viabilizado no RN após a antecipação do feriado de 3 de outubro (Mártires de Cunhaú e Uruaçu) para esta sexta-feira, 12, o Governo do Estado visa aumentar a taxa de isolamento social no Estado, uma das medidas mais efetivas para evitar a transmissão do novo coronavírus (Covid-19). A taxa de isolamento está em 41,3%, quando o ideal seria acima de 60%.

O dado foi revelado na coletiva de imprensa desta quinta-feira (11), na Escola de Governo, que teve a participação dos secretários Francisco Araújo (Segurança) e Petrônio Spinelli (Adjunto da Saúde- Sesap) e do assessor de Inovações Tecnológicas do Ministério Público do RN (MP-RN), Israel Garcia.

Há 710 pessoas internadas em hospitais da rede pública e particular e 354 pessoas em leitos críticos. “Esses dados por si só já falam da importância do isolamento social. Temos muitos leitos para abrir, mas com esse ritmo da evolução da epidemia os leitos não serão suficientes”, enfatizou Petrônio Spinelli. De acordo com os registros há 13.234 casos confirmados, 22.627 casos suspeitos, 22.945 descartados, 496 óbitos, mais 90 em investigação, e 1.993 pessoas recuperadas.

Sobre a ocupação dos leitos, a taxa está em 98% na região metropolitana, 100% em Pau dos Ferros, 93,3% na região Oeste e 59,3% no Seridó. “Os que precisam sair para atividades essenciais, os que estão trabalhando lembrem de usar máscaras e manter o distanciamento social, além de proteger as pessoas vulneráveis como os idosos. Estamos trabalhando incansavelmente para abrir novos leitos em todo o Estado. Temos uma quantidade de leitos sendo abertos, estamos trabalhando constantemente para novos leitos funcionarem o mais rápido possível, mas também precisamos da colaboração de todos, frisando mais uma vez o papel de cada cidadão”, disse Petrônio.

O Governo do RN abriu nesta quarta-feira, 10, mais 5 leitos de UTI, todos já ocupados.  “Temos leitos sendo abertos frequentemente, mas a intenção é não ter pacientes para ocupá-los. Isso só é possível se aumentarmos o isolamento social. O Pacto pela Vida está tendo excelentes resultados nessa primeira fase, com o diálogo colaborativo e importante com os prefeitos de todas as regiões. Os municípios que fizeram dever de casa, com isolamento, fiscalização e controle da população idosa pela atenção básica estão tendo resultados concretos e reais. O momento é de união, trabalhar juntos, abrir leitos e aumentar o isolamento social”, finalizou o secretário Petrônio.

O Governo do Estado encerrou nesta quarta-feira o ciclo de encontros sobre o Pacto pela Vida com os gestores municipais das oito regionais de saúde, que abarcam os 167 municípios do Estado. O secretário da Segurança (Sesed), Cel. Francisco Araújo, lembrou que as polícias Civil e Militar e o Corpo de Bombeiros estão à disposição dos municípios para atuar de forma integrada e conjunta com agentes de saúde e segurança locais, uma das premissas do Pacto pela Vida. “Já tivemos ações integradas de orientação à população em Pau dos Ferros, Assú e Mossoró. Quando o cidadão insiste em desobedecer, ele é conduzido à delegacia. O objetivo do Pacto pela Vida é exatamente a preservação da vida, fazer com que diminua a quantidade de pessoas nas filas dos hospitais e garantir o isolamento social”, afirmou o secretário.

Aplicativo “Tô de Olho”

Em funcionamento há dois meses, o aplicativo “Tô de Olho” é uma parceria estadual, via fornecimento de dados da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), com o Ministério Público do Estado (MP-RN) e o Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN). Durante a coletiva, o assessor de Inovações Tecnológicas do MP-RN, Israel Garcia, explicou a importância da ferramenta no combate ao novo coronavírus: “É uma ferramenta tecnológica que se soma aos esforços para conter a epidemia. Temos 15 mil pessoas cadastradas e 2.800 mil denúncias de 92 cidades diferentes”.

O sistema trabalha com três eixos: denúncia, dados de isolamento social e identificação de pessoas infectadas. Nele, a população pode denunciar aglomerações e outras violações da quarentena. O segundo eixo traz dados de isolamento social de cidades e bairros potiguares. A terceira função identifica, por meio de um algoritmo e do histórico de localização, quem teve algum contato com uma pessoa infectada no período de contágio, sem identificar os cidadãos.

“Esta é uma técnica usada em vários países e é importante na questão dos pré-sintomáticos. São informações qualificadas e muito importantes neste momento da epidemia. Assim, os usuários poderão intensificar o isolamento social e a adoção de cuidados, evitando mais ainda alguns locais. A ferramenta também serve como aliada para combater a cadeia de contágio. Quanto mais gente baixar o aplicativo, mais informações de localização teremos qualificando nossos dados”, afirmou Israel.

Os interessados podem baixar o aplicativo de forma gratuita no sistema Android ou consulta-lo no site todeolho.mprn.mp.br.

Disque Prevenção ao Coronavírus – 0800 281 4012 | das 7h às 23h 📞
Informações e esclarecimentos
Acolhimento Psicológico
Doações RN+Unido

São Paulo vai produzir vacina contra o novo coronavírus

Vacina deve estar disponível no SUS a partir de junho de 2021
Teste da vacina contra a doença de coronavírus COVID-19 na Tailândia (Foto: Reuters/Athit Perawongmetha)

Agência Brasil

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou hoje (11) que São Paulo vai produzir uma vacina contra o novo coronavírus. Isso será possível por uma parceria que foi firmada ontem (10) entre o Instituto Butantan e o laboratório chinês Sinovac Biotech. A vacina é inativada, ou seja, contém apenas fragmentos do vírus mortos ou com baixa atividade. Com a aplicação da dose, o sistema imunológico passaria a produzir anticorpos contra o agente causador da covid-19.

“Hoje é um dia histórico para São Paulo e para o Brasil, assim como para a ciência mundial. O Instituto Butantan fechou acordo de tecnologia com a gigante farmacêutica Sinovac Biotech para a produção de vacina contra o coronavírus”, falou João Doria, governador de São Paulo. “Essa vacina do Instituto Butantan é das mais avançadas contra o coronavírus. E estudos indicam que ela estará disponível no primeiro semestre do próximo ano, ou seja, até junho do próximo ano. Com essa vacina poderemos imunizar milhões de brasileiros”, acrescentou.

A vacina, chamada de CoronaVac, está em fase adiantada de testes. Ela já está na terceira etapa, chamada clínica, de testagem em humanos. “Um coronavírus é introduzido em uma célula do tipo Vero. Essa célula é cultivada em laboratório. O vírus se multiplica. No final, o vírus é inativado e incorporado na vacina, que será aplicado na população”, explicou Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan. O investimento do Instituto Butantan para os estudos nessa fase clínica é de R$ 85 milhões.

Segundo Dimas, há no mundo hoje 136 vacinas contra o novo coronavírus em desenvolvimento, mas apenas dez delas atingiram a etapa de estudos clínicos. Três estão em fases ainda mais adiantadas de testes e a CoronaVac é uma delas.

Fase clínica

O desenvolvimento de uma vacina é feito em etapas. A primeira delas é a fase laboratorial, onde é feito a avaliação de qual a melhor composição para a vacina. A segunda etapa, chamada de pré-clínica, é a de testes em animais. A terceira etapa é a chamada fase clínica, de testes em humanos.

Essa terceira etapa é dividida em três fases. As fases 1 (inicial, que avalia se a vacina é segura) e 2 (que conta com uma maior quantidade de voluntários e avalia a eficácia do produto) já foram realizadas na China, com sucesso. Agora a vacina está entrando na fase 3, que será realizada no Brasil, com 9 mil voluntários, de todo o país, iniciando por São Paulo. Essa fase, que é um estudo populacional, deve ser começar já no mês de julho. “Dentro de aproximadamente três semanas, 9 mil voluntários estarão sendo testados aqui no Brasil”, disse Doria.

“Na fase inicial [da vacina] foram feitos estudos em macacos. Os resultados foram publicados na revista científica Science. A fase 1 [de testagem clínica] contou com 144 voluntários [chineses] e, a fase 2, com 600 voluntários na China. E a fase 3 será agora feita no Brasil”, explicou Dimas Covas.

Caso os testes feitos com esses 9 mil voluntários, na fase 3, se mostrem positivos, a vacina entrará na etapa de registro junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e então começará a ser produzida em larga escala. A expectativa do Instituto Butantan é de que a vacina poderá estar disponível para a população em junho de 2021. “Comprovada a eficácia e segurança da vacina, o Instituto Butantan terá o domínio da tecnologia e ela poderá ser produzida em larga escala no Brasil para fornecimento ao SUS [Sistema Único da Saúde] de forma gratuita até junho de 2021”, falou o governador. Então, caso ela seja aprovada, será produzida em larga escala tanto na China quanto no Brasil. O Butantan tem capacidade de produzir 1 milhão de vacinas por dia em sua fábrica de gripes”, disse Covas.

As primeiras pessoas a serem vacinadas no Brasil, segundo Dimas Covas, serão as dos grupos de maior risco, como idosos e/ou com comorbidades, ou seja, doenças pré-existentes.

Sinovac

Por meio de nota em seu site, a Sinovac Biotech informou que os resultados pré-clínicos “promissores sobre o CoronaVac foram publicados recentemente na revista científica Science, em um artigo afirmando que o candidato a vacina é seguro e fornece proteção a macacos rhesus por meio de um estudo de desafio com animais”.

Segundo a farmacêutica, a Sinovac está construindo uma fábrica comercial de produção de vacinas na China, que deverá fabricar até 100 milhões de doses de CoronaVac a cada ano.

“Estamos orgulhosos em participar da luta contra a covid-19 e esperamos trabalhar com o Instituto Butantan para ajudar o povo do Brasil. Por meio dessa parceria, a Sinovac poderá aumentar a velocidade sem precedentes do desenvolvimento da CoronaVac, sem comprometer nossos padrões e procedimentos de segurança”, disse Weidong Yin, presidente da Sinovac.