Proposta da União poderá extinguir 49 municípios do Rio Grande do Norte

O governo propôs ao Congresso o fim dos municípios com menos de 5 mil habitantes e arrecadação menor que 10% da receita total. Pela proposta, esses municípios terão que  ser incorporados pelo município vizinho.
Viçosa é a menor cidade do Rio Grande do Norte (Reprodução/Na Hora RN)

Tribuna do Norte

O governo propôs ao Congresso o fim dos municípios com menos de 5 mil habitantes e arrecadação menor que 10% da receita total. Pela proposta, esses municípios terão que  ser incorporados pelo município vizinho. No Rio Grande do Norte, conforme levantamento repassado à Tribuna do Norte pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 49 municípios poderão ser extintos. Esse número corresponde a 29,34% do total das cidades no Estado. Juntos, eles somam 173.309 habitantes, logo, 4,94% do total da população do Rio Grande do Norte.

Segundo o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, 1.254 municípios em todo Brasil atendem às duas condições (poucos habitantes e baixa arrecadação). A incorporação valerá a partir de 2026, e caberá a uma lei complementar definir qual município vizinho absorverá a prefeitura deficitária.

Em nota, a Federação do Municípios do Rio Grande do Norte (FEMURN) afirmou que vai acompanhar o debate em torno da proposta. “Acreditamos que é preciso que se avalie, verdadeiramente, os impactos econômicos, políticos e sociais da medida apresentada pelo Governo Federal dentro da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Pacto Federativo”, diz o texto.

Veja alguns dos municípios que podem deixar de existir:

Almino Afonso 4.735 habitantes

Barcelona 3.998 habitantes

Caiçara do Norte 3.684 habitantes

Galinhos 2.786 habitantes

Jardim de Angicos 2.612 habitantes

Lagoa de Velhos 2.732 habitantes

Monte das Gameleiras 2.105 habitantes

Tibau 4.106 habitantes

São José do Seridó 4.634 habitantes

Senador Georgino Avelino 4.440 habitantes

Viçosa 1.718 habitantes (menor município do Rio Grande do Norte)

 

Marta e Alisson concorrem a melhores do mundo de 2019

Cerimônia da 11ª edição da Globe Soccer Awards será em Dubai
Marta e Alisson concorre ao prêmio de melhores do mundo em 2019 (Foto: Reprodução/Internet)

Agência Brasil

A atacante Marta e o goleiro Alisson foram indicados na manhã de hoje (30) ao Globe Soccer Awards, uma premiação destinada aos melhores jogadores do mundo neste ano.Concorrendo na categoria masculina com o brasileiro Alisson estão o argentino Lionel Messi, os portugueses Cristiano Ronaldo e Bernardo Silva, o egípcio Mohamed Salah e o senegalês Sadio Mané. Marta vai disputar o prêmio de melhor jogadora de 2019 com Ada Hegerberg (Noruega), Lucy Bronze (Inglaterra), Alex Morgan (EUA), Megan Rapinoe (EUA), Sari Van Veenendaal (Holanda) e Amandine Henry (França). O Globe Soccer Awards é organizado há dez anos pela Associação de Empresários de Jogadores de Futebol (EFAA) e pela Associação de Clubes Europeus (ECA).

A premiação também contempla outras categorias como a de jogador revelação do ano. Foram cinco indicados: o português João Félix, do Atlético de Madrid; o norueguês Erling Haland, do Red Bull Salzburg; o guinense Anssumane ‘Ansu’ Fati, do Barcelona; o inglês Jadon Sancho, do Borussia Dortmund; e o alemão Kai Havertz, do Bayer Leverkusen.

Outros profissionais, como os técnicos,  também disputam o prêmio de melhor de 2019. Na lista de finalistas estão Jürgen Klopp (Liverpool), Erik Ten Hag (Ajax), Fernando Santos (Seleção Portuguesa), Djamel Belmandi (Seleção Argelina) e Massimiliano Allegri (ele comandou o Juventus até maio, e depois entrou num período sabático).

Globe Soccer Awards vai premiar ainda o melhor clube do ano. Na disputa estão Liverpool, campeão europeu e vice-campeão inglês; Ajax, campeão holandês e destaque pelo desempenho na Liga dos Campeões; e a equipe de futebol feminino do Lyon, campeã europeia.

A cerimônia de entrega será no dia 29 de dezembro, em Dubai, nos Emirados Árabes.

Pan: Brasil abre sexta-feira com ouro e prata no surfe stand-up paddle

Brasileiro disputa nesta tarde final individual do badminton
Atleta Lena Ribeiro(Foto: Miriam Jeske/COB)

Agência Brasil

A primeira a triunfar nesta sexta-feira (2) no mar agitado de Lima foi Lena Guimarães, tricampeã nacional no surfe stand-up paddle (SUP), modalidade que integra o surfe clássico com o uso de remos. Ela deixou para trás a norte-americana a Candice Appleby, campeã quatro vezes da Corrida SUP Race, uma das principais disputas do mundo na modalidade, que ficou com a medalha de prata. A porto-riquenha Mariecamen Rivera, chegou em terceiro lugar e ficou com o bronze.

Foi um desafio e tanto para a brasileira, que passou boa parte da prova 30 segundos atrás da líder Candice Appleby. Além disso, Lena sofreu uma queda e quase foi ultrapassada por Mariecamen Rivera, mas a sorte virou para a brasileira: as duas primeiras colocadas levaram um caldo e caíram da prancha. Foi quando Lena conseguiu se recuperar – ela ainda contou com o embalo de uma onda para assumir a liderança e cruzar a linha de chegada com o tempo de 33min25s7. A norte-americana ficou com a prata (34min03s9) e a portorriquenha Rivera levou o bronze (34min38s0).

Logo depois da conquista do ouro por Lena Guimarães, veio a prata com o sufista Vinnicius Martins, natural de Búzios, na Região dos Lagos, Rio de Janeiro. Favorito na competição, o brasileiro chegou a liderar a prova, mas foi ultrapassado pelo norte-americanao Connor Baxter, que ficou na frente até o fim, completando o percurso em 24min18s7. Vinnicius chegou em segundo, com o tempo de 25min01s3 e o peruano Itzel Delgado, em terceiro, com 26min24s3.

O Brasil soma agora 39 medalhas –13 de ouro, 13 de prata e 23 de bronze – e permanece em terceiro lugar no quadro geral, atrás do México, segundo colocado, que totaliza 54 medalhas (16 de ouro, 11 de prata e 24 de bronze). Os Estados Unidos lideram a competição, como 89 medalhas (37 de ouro, 28 de prata e 24 de bronze.

Badminton

Nesta tarde, às 16h, o Brasil disputa a final do individual masculino do badminton no Pan-Americano de Lima. O carioca Ygor Coelho decide a medalha de ouro com o canadense Bryan Yang. A presença na final foi garantida ontem (1º) à noite, quando o brasileiro venceu, de virada, outro canadense: Jason Ho-Shue, por 2 sets a 1.

A campanha do badminiton brasileiro no Pan de Lima já é a melhor da história do país na modalidade: só nesta quinta-feira foram quatro medalhas de bronze e, no pior cenário, a prata já está garantida, em caso de derrota de Ygor Coelho, na partida de hoje. O melhor desempenho do Brasil havia sido na última edição dos Jogos Pan-Americanos, em 2015, em Toronto, no Canadá.

Os primeiros a garantir o bronze ontem foram as duplas brasileiras masculina e feminina: na semifinal, os irmãos Franceilton e Fabrício Farias perderam para outra dupla de irmãos, os norte-americanos Phililp e Ryan Chew, por 2 sets a 1. Na semifinal feminina, a dupla Fabiana Silva e Tamires Santos ficou com o bronze após derrota para as canadenses Rachel Honderich e Kristen Tsai, por 2 sets a 0.

A noite de quinta terminou com mais duas medalhas de bronze para o Brasil: a dupla Jaqueline e Samia Lima venceu o primeiro set contra as norte-americanas Kuei-Ya Chen e Jamie Hsu, mas depois permitiu a virada, perdendo por 2 sets a 1. Também com uma vitória de virada, por 2 sets a 1, os canadenses Joshua Hurlburt-Yu e Josephine Wu superaram na semifinal de duplas mixtas os brasileiros Fabrício Farias e Jaqueline Lima.

Com dobradinha brasileira no triatlo, Luisa Baptista conquista o primeiro ouro do Brasil em Lima

Brasileira ultrapassa a compatriota Vittoria Lopes no trecho final da corrida e fatura o primeiro título do país nos Jogos Pan-Americanos 2019. Mexicana Cecilia Perez fica com o bronze
Foto: Wander Roberto/COB

Globo Esporte

Saíram as duas primeiras medalhas do Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Lima. E a conquista foi ao melhor estilo. Com direito a dobradinha brasileira no pódio, Luisa Baptista faturou o ouro no triatlo feminino, com o tempo de 2h00m55s na corrida. A prata foi para Vittoria Lopes, que fechou a prova em 2h01m27s. Completou o pódio a mexicana Cecilia Perez, com 2h02m07s.

– Estou muito feliz. É o resultado mais especial que já tive na minha carreira. Eu estava muito confiante e muito nervosa ao mesmo tempo, porque sabia que esse resultado poderia vir. Foi acreditar no trabalho não só desses últimos meses, mas de oito anos atrás, quando iniciei no triatlo. Que, com esse resultados, venham muitos outros pro Brasil. A Vitória saiu muito forte, mas eu sabia que, se ela estivesse alguns segundos à frente, a gente poderia sair com mais uma medalha e fazer as duas. Acabei segurando um pouco o ritmo, fiquei no grupo e fiz um trabalho um pouco conservador no ciclismo, para que na corrida eu tivesse perna para definir e trazer essa dobradinha pro Brasil – disse a campeã logo após a prova.

Luisa confirmou que fez um jogo de equipe com Vittoria para que as duas abrissem vantagem em relação à atleta mexicana e garantissem a dobradinha brasileira em Lima.

– O triatlo é um esporte individual, mas se a gente está trabalhando em equipe, é uma vantagem tremenda. Na hora que eu vi que tinha uma boa vantagem para a mexicana, falei pra segurarmos um pouquinho a corrida, para podermos ser primeira e segunda. Acabou dando tudo certo, ela permaneceu junto por quase um quilômetro, que foi suficiente pra que a gente abrisse de vez da mexicana e pudesse garantir o ouro e a prata.

A prova foi regada a emoção. Depois de liderar a maior parte do percurso, Vittoria, que é a atual 32ª colocada do ranking, foi ultrapassada por Luisa, número 49 do mundo, perto da linha de chegada. Além das duas medalhistas, mais uma brasileira participou da prova deste sábado. Com o tempo de 3m55s atrás da primeira colocada, Beatriz Neres terminou em nono.

Manoel Messias é prata no masculino

Assim como no individual feminino, o Brasil também subiu ao pódio no masculino. A honra coube a Manoel Messias, medalha de prata neste sábado, atrás apenas do mexicano Crisanto Grajales, que sagrou-se bicampeão pan-americano da prova com o tempo de 1h50m39s na corrida. Manoel, que cruzou a linha de chegada 16 segundos depois de Crisanto, ficou uma posição à frente do argentino Luciano Taccone, medalhista de bronze na prova.

O Pan de Lima vai reunir cerca de 6.850 atletas de 41 países das Américas. Dos 39 esportes, 22 valem como classificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. No total, o Brasil terá 485 atletas em ação na capital do Peru.

Seleção Brasileira Feminina pode ter bicampeã olímpica como treinadora no lugar de Vadão

Confederação Brasileira de Futebol já procurou Pia Sundhage para saber sobre o seu interesse em assumir o Brasil, e a sueca se mostrou disposta a conversar
Vadão atual técnico da Seleção Brasileira Feminina (Foto: Reprodução/FOX Sports)

FOX Sports

Após a disputa da Copa do Mundo na França sob o comando do técnico Vadão, a Seleção Brasileira Feminina poderá ter uma treinadora bicampeã olímpica como substituta. Segundo publicação do Globoesporte.com, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) já procurou a sueca Pia Sundhage, que atualmente está à frente da categoria sub-16 do seu país.

Após a eliminação para a França nas oitavas de final deste último Mundial, o presidente da CBF, Rogério Cabloclo, procurou Sundhage, que se mostrou disposta a conversar. O próximo passo é conversar com Vadão sobre uma substituição no cargo e, em seguida, se acertar com a sueca.

Bicampeã olímpica à frente dos Estados Unidos, a treinadora é vista como uma referência no esporte, inclusive pelo fato de, nas últimas Olimpíadas, no Rio de Janeiro em 2016, ter chegado à final sob o comando da Suécia, e perdendo para a Alemanha. Caso Sundhage não acerte com o Brasil, a certeza é que a CBF irá atrás de uma outra treinadora, necessariamente mulher.

Seleção começa a se apresentar na Granja Comary nesta quarta-feira

A seleção brasileira de futebol, começa a se apresentar no Centro de Treinamento da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na Granja Comary, em Teresópolis/RJ, a partir desta quarta-feira (22), para o início da preparação visando os jogos da Copa América Brasil 2019.
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Agência Brasil

A seleção brasileira de futebol, chefiada pelo treinador Tite, começa a se apresentar no Centro de Treinamento da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na Granja Comary, em Teresópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, a partir desta quarta-feira (22), para o início da preparação visando os jogos da Copa América Brasil 2019.

Além dos 23 jogadores convocados, formam ainda a delegação médicos, fisioterapeutas, roupeiros, massagistas, entre outros. De acordo com o planejamento da equipe técnica, na quinta-feira (23), às 16h, os jogadores iniciam a fase de treinamentos. O planejamento prevê, também, duas partidas amistosas contra o Catar e Honduras.

O Brasil enfrenta  a equipe do Catar no dia 5 de junho, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. O jogo contra Honduras ocorrerá no dia 9 de junho, no Beira-Rio, em Porto Alegre. A viagem da seleção a Brasília está prevista para 4 de junho, às 21h30.

Como os jogadores convocados por Tite se apresentarão em datas diferentes durante a preparação, atletas jovens de vários clubes estarão na Granja Comary completando o grupo de jogadores para os treinos com bola. Eles permanecerão em Teresópolis de 23 a 29 de maio.

Foram chamados os goleiros Phelipe (Grêmio) e Yuri Sena (Vitória), os defensores Weverton (Cruzeiro), Morato (São Paulo), Nestor (São Paulo), Bruno Fuchs (Internacional) e Ramon (Internacional), os meias Alan (Palmeiras) e Gui Azevedo (Grêmio), além do atacante Martinelli (Ituano).

A estreia da seleção brasileira na Copa América será no dia 14 de junho, às 21h30, contra a Bolívia, no Morumbi, em São Paulo. Nessa fase de grupos, o Brasil enfrentará ainda a Venezuela e o Peru nos dias 18 e 22 de junho, respectivamente.

*Com informações da CBF

Maduro diz que fechará fronteira da Venezuela com o Brasil nesta quinta

Líder chavista disse que passagem entre os países fica ‘fechada total e absolutamente até novo aviso’. Medida vem em meio a pressão para que ele permita a entrada de ajuda humanitária.
Nicolás Maduro anuncia fechamento da fronteira terrestre entre Brasil e Venezuela(Foto: Reprodução/VTV)

Por G1

Nicolás Maduro disse nesta quinta-feira (21) que a Venezuela irá fechar sua fronteira com o Brasil esta noite, a partir das 20h, pela hora local — 21h em Brasília.

“A partir das 20h de hoje, quinta-feira, 21 de fevereiro, fica fechada total e absolutamente, até novo aviso, a fronteira com o Brasil”, afirmou o líder chavista em fala exibida no canal estatal VTV. “Vale mais prevenir do que lamentar.”

O anúncio acontece em meio à pressão para que ele permita a entrada de ajuda humanitária oferecida pelos EUA e por países vizinhos após pedido do autoproclamado presidente interino Juan Guaidó. Maduro vê a oferta dessa ajuda como uma interferência externa na política do país.

Após o anúncio, muitos venezuelanos correram para vir ao Brasil e comprar estoques de mantimentos em Pacaraima (RR). “Estamos correndo contra o tempo o mais rápido possível para poder passar antes que a fronteira feche”, disse o venezuelano Genson Medina, de 22 anos.

O chavista também está estudando o fechamento da fronteira venezuelana com a Colômbia. Guaidó iniciou nesta quinta uma viagem em comboio de 800 km à fronteira da Colômbia, onde vai pressionar pela entrada de ajuda humanitária.

A Guarda Nacional da Venezuela bloqueou a viagem de uma caravana de deputados da oposição que se dirigem para essa fronteira, o que obrigou os líderes a descer dos ônibus.

Houve um princípio de conflito, e membros da Guarda lançaram gás lacrimogêneo nos deputados. O incidente aconteceu no túnel de La Cabrera, que une os estados centrais de Aragua e Carabobo.

Fronteira Brasil e Venezuela, por volta de 17h30 de quinta-feira (21) Foto: Alan Chaves/G1

Esta é a segunda vez que a Venezuela fecha sua fronteira com o Brasil em menos de um ano. Em maio de 2018, venezuelanos e brasileiros foram impedidos de cruzar os limites entre os países durante três dias por causa da eleição presidencial na qual Maduro foi reeleito.

Na ocasião, a fronteira foi fechada às 21 horas de 18 de maio, uma sexta-feira, e assim permaneceu até às 6 horas da segunda-feira, dia 21.

Mas, ao mesmo tempo em que rejeita a entrada no país de ajuda humanitária vinda dos EUA e de países vizinhos, Maduro anunciou nesta quinta-feira a chegada de 7,5 toneladas de medicamentos vindos da Rússia. Ele diz, porém, que o governo venezuelano está pagando pelos remédios.

“É assistência humanitária, apoio humanitário porque está vencendo um bloqueio, mas os venezuelanos não são mendigos de ninguém e é por isso que nós continuamos saldando todas as nossas dívidas”, disse.

Segundo Maduro, a Venezuela sofre com um bloqueio promovido pelos Estados Unidos, devido às sanções que este país aplica a setores do governo venezuelano.

‘Venezuela Aid Live’

No próximo sábado está marcado um “grande show” no lado colombiano da fronteira, chamado “Venezuela Aid Live”, que foi anunciado no dia 14 de fevereiro pelo empresário britânico Richard Branson, fundador do Grupo Virgin.

Na cidade colombiana estão armazenadas toneladas de ajuda humanitária que esperam para serem enviadas à Venezuela. O país há quase cinco anos sofre de escassez de remédios, enquanto os alimentos só podem ser adquiridos a preços que a maioria dos venezuelanos não pode pagar.

Reconhecido por dezenas de países como o chefe de Estado legítimo da Venezuela, Guaidó disse que seu movimento pretende recolher a ajuda por terra e mar no sábado para aliviar a escassez generalizada de alimentos e remédios. Ele fez campanha para que os venezuelanos se voluntariassem para trabalhar na distribuição da ajuda.

Guaidó anunciou que nesta quinta foram enviadas de Miami a Curaçao mais 50 toneladas de produtos doados por venezuelanos que moram na cidade americana.

Ainda não está claro como Guaidó planeja receber a ajuda. Integrantes da oposição sugeriram a formação de correntes humanas através da fronteira colombiana para passar pacotes de pessoa a pessoa e frotas de barcos provenientes das Antilhas Holandesas.

Envolvimento do Brasil

O governo brasileiro mobilizou uma força-tarefa de ministérios para enviar alimentos e medicamentos “ao povo da Venezuela”, que estão sendo levados até as cidades de Boa Vista e Pacaraima, ambas em Roraima, e seriam buscados por caminhões venezuelanos, conduzidos por cidadãos do país vizinho. Os próprios venezuelanos teriam de cruzar a fronteira com os produtos. A operação acontece em parceria com os EUA.

Pence na Colômbia

Nesta quinta, o governo americano anunciou ainda que o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, viajará para a Colômbia na segunda-feira (25) para reforçar o apoio do governo de Donald Trump a Guaidó, em sua disputa de poder com Maduro.

“O vice-presidente declarará claramente que chegou a hora de Nicolás Maduro se afastar”, afirma a assessoria de Pence em um comunicado. O texto afirma ainda que o vice-presidente participará da Colômbia em uma reunião do Grupo de Lima, criado em 2017 para promover uma saída para a crise venezuelana.