Secretaria de Segurança entrega equipamentos à Polícia Civil

O material é resultado de um convênio entre a Sesed e a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).
Foto: SESED/ASSECOM RN

Governo do RN/ASSECOM

A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) entregou, nesta terça-feira (03), equipamentos tecnológicos, no valor de R$ 112 mil, à Polícia Civil. Na presença do vice-governador, Antenor Roberto, a delegada geral da Polícia Civil, Ana Cláudia Saraiva, recebeu tablets, leitores biométricos, câmeras e algemas. O material é resultado de um convênio, entre a Sesed e a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), com valor total de R$ 3.673.499,00.
“O Governo do Estado fica satisfeito com toda a equipe de Segurança trabalhando junto, resgatando recursos que estavam paralisados e investindo em equipamentos modernos de tecnologia, que serão fundamentais para melhorar o trabalho e a resolutividade das ocorrências por parte da Polícia Civil.”, disse o vice-governador Antenor Roberto.
Este convênio foi celebrado no ano de 2013, porém, somente na atual gestão o processo foi resgatado. Os materiais recebidos pela Polícia Civil serão destinados principalmente para as unidades DHPP em Natal e Mossoró, e para as delegacias distritais.
 “São equipamentos de fundamental importância, principalmente para a investigação policial, pois dará transparência para ações da polícia, fazendo com que tudo passe a ficar documentado, assim como auxiliará na melhoria do nosso banco de dados de identificação.”, afirmou a delegada Ana Cláudia.
O secretário de Segurança, cel Francisco Araújo, reafirmou a importância do trabalho desenvolvido pela Sesed junto à Secretaria Nacional. “A Senasp tem sido parceira no reconhecimento dos nossos projetos e convênios. É importante ressaltar que o trabalho feito pela nossa equipe está sendo reconhecido”, apontou.

Delegacia de Policia de Macaíba efetua prisões na tarde de ontem

O delegado Cidórgeton Pinheiro e sua equipe prenderam, na tarde desta terça-feira (3), Manoel Batista dos Santos, conhecido como “Mané”, 19 anos. A prisão em flagrante ocorreu na comunidade Capoeiras.
Imagem: Reprodução/Internet

Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

O delegado Cidórgeton Pinheiro e sua equipe prenderam, na tarde desta terça-feira (3), Manoel Batista dos Santos, conhecido como “Mané”, 19 anos. A prisão em flagrante ocorreu na comunidade Capoeiras, na zona rural de Macaíba, pela prática do crime de tráfico de drogas.

Após o recebimento de denúncias anônimas, os policiais conseguiram prender, inicialmente, Paulo César dos Santos Filho, considerado um criminoso perigoso que, em razão de dificuldades de locomoção, passou a contar com ajuda de alguns adolescentes para praticar o tráfico de drogas na região. Na mesma ação, um adolescente foi apreendido por tráfico de drogas.

A partir da prisão de “Paulinho”, os policiais chegaram à residência de Manoel Batista. Ao perceber a presença da polícia, ele tentou fugir, saltando pela janela da casa, mas foi capturado. Com ele, foram encontrados porções de maconha, diversos sacos plásticos usados para embalagem de droga e dinheiro.

De acordo com as investigações, Manoel Batista trafica drogas para “Paulinho”. Após ser autuado em flagrante pelo crime de tráfico de drogas, ele foi encaminhado ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça.

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia da Polícia Civil 181 ou do Disque Denúncia/Whatsapp da Delegacia Municipal de Macaíba, por meio do número: (84) 98114-4042.

Justiça determina que Governo do RN transfira policiais civis em funções administrativas para delegacias

Segundo decisão, mesmo com menos de 29% dos cargos preenchidos, Polícia Civil tem 317 servidores exercendo funções administrativas ou cedidos.
Policia Civil do RN tem apenas 1.461 cargos ocupados do total de 5.510 previstos em lei (Foto: G1 RN)

G1 RN

A Justiça determinou que o Estado do Rio Grande do Norte deixe de lotar policiais civis nos setores administrativos da Delegacia Geral de Polícia Civil e na Secretaria Estadual de Segurança e que os servidores sejam realocados para as delegacias e divisões especializadas para exercer as atividades de investigação. Segundo o Ministério Público, há pelo menos 212 policiais civis, entre delegados, escrivães e agentes, afastados da atividade-fim e em atividades meramente administrativas e burocráticas.

De acordo com a Justiça estadual, dos 5.150 cargos de policial civil, previstos por lei, somente 1.461 estão preenchidos, ou 28,36%, estão preenchidos. Além disso, 317 estão exercendo funções administrativas ou cedidos a outros órgãos.

A decisão do juiz Bruno Montenegro Ribeiro Dantas, da 3ª Vara da Fazenda Pública de Natal, atendeu parcialmente a uma medida liminar pedida pelo Ministério Público Estadual. A exceção é para os cargos comissionados e funções gratificadas, bem como os que estão em unidades operacionais, como divisão de homicídios e outras especializadas, delegacias regionais e núcleo de inteligência, por exemplo.

Em um prazo de 12 meses, o governo deverá trabalhar para que pelo menos 50% dos policiais civis que se encontrem exercendo atividades administrativas sejam enviados de volta às delegacias.

Conforme a ação civil pública aberta pelo Ministério Público Estadual, nos últimos anos o Estado do Rio Grande do Norte vem vivenciando um “aumento vertiginoso da criminalidade”, evidenciado nos números estatísticos que apontariam o estado como um dos mais violentos do país.

Apesar disso, o MP considerou que a administração pública não vem tratando o problema como prioridade. Isso porque, além da Polícia Civil ter uma quantidade baixa de servidores efetivos, possui parte considerável deles em atividades administrativas, cedidos para outros órgãos, o que prejudicaria a atividade-fim da polícia e caracterizaria desvio de função.

Em petição, o Estado do Rio Grande do Norte argumentou que a lotação dos policiais civis é necessária por causa insuficiência de servidores públicos do quadro de pessoal da administração direta, para atender as demandas dos órgãos públicos, e a utilização de policiais civis nas atividades administrativas da Degepol e da Sesed seria para garantir o funcionamento adequado da máquina administrativa.

O Estado ainda alegou que a pretensão do Ministério Público afronta o poder discricionário da Administração Pública quanto à gestão da política de pessoal.

Decisão

Ao analisar o pedido liminar, o juiz Bruno Montenegro ressaltou que a segurança pública é um direito fundamental expressamente previsto na Constituição Federal, cuja efetivação é um dever do Estado, mediante adoção de políticas públicas que forjem condições para a sua concretização, em prol da sociedade. Ainda declarou que é notório e evidente o aumento vertiginoso da criminalidade no Rio Grande do Norte. P

ara Bruno Montenegro, os dados estatísticos indicados pelo MP demonstram o panorama. “O Estado do Rio Grande do Norte, em curto intervalo de tempo, alcançou números de criminalidade espantosos, os quais atribuíram-lo o signo de um dos locais mais perigosos do país”, afirmou.

Também na decisão, o magistrado ressaltou que dos 5.150 cargos de policial civil, previstos na Lei Complementar Estadual nº 417/2010, somente 1.461 estão preenchidos, o que corresponde a 28,36% do efetivo previsto em lei. Além disso, verificou que cerca de 317 policias civis estão exercendo funções administrativas, cedidos para outros órgãos, sem lotação ou com cargo em vacância.

“Desse forma, considero que o número excessivo de cargos vagos no âmbito da polícia civil do Rio Grande do Norte e a quantidade expressiva de policiais civis designados para o exercício de atividades administrativas diversas da atividade-fim da polícia civil demonstram evidente omissão do ente público demandado em zelar pela manutenção de condições adequadas ao exercício da função precípua da polícia civil, prejudicando sensivelmente o combate às atividades criminosas e, por consequência, violando o dever constitucional de garantia da segurança pública”, definiu o julgador.

Delegado de Macaíba, Cidórgeton Pinheiro, prende homem em flagrante por tráfico de drogas

A prisão se deu no Loteamento Bom Sossego, bairro São José, Álvaro Rocha também é suspeito de praticar homicídio e outros crimes, além de atuar em uma facção criminosa na região.
Imagem: Reprodução/Internet

Secretaria de Comunicação Social da Policia Civil/RN – SECOMS

Nesta quarta-feira (21), o delegado de Macaíba, Cidórgeton Pinheiro, e sua equipe prenderam em flagrante, Álvaro Rocha de Lima, 27 anos. A prisão se deu no Loteamento Bom Sossego, bairro São José, município de Macaíba, pela prática do crime de tráfico de drogas.

Com ele, foram encontrados uma porção de “crack”, uma balança de precisão, uma lâmina de corte e diversos sacos plásticos usados para embalar drogas. Álvaro Rocha também é suspeito de praticar homicídio e outros crimes na cidade de Macaíba, além de atuar em uma facção criminosa na região.

Ele foi conduzido até a delegacia e encaminhado ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça. A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia da Polícia Civil 181 ou do Disque Denúncia/Whatsapp da Delegacia Municipal de Macaíba, por meio do número: (84) 98114-4042.

Policiais da Delegacia de Macaíba, prendem dupla com arma de fogo

A dupla foi localizada pelos policiais civis após o recebimento de denúncias anônimas relatando que homens de Pernambuco estariam na localidade, armados e em atitudes suspeitas.
Imagem: Reprodução/Internet

PC/ASSECOM

A equipe da Delegacia Municipal de Macaíba prendeu dois homens em flagrante, pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo e receptação, na manhã desta sexta-feira (09), no Povoado Tabatinga, zona rural de Macaíba. Jaspyson José de Araújo, 29 anos, e Guilherme Cavalcante da Silva, 21 anos, foram detidos quando estavam com um revólver calibre 38, com capacidade para seis munições, carregado com uma munição.

Durante a realização das diligências, os suspeitos arremessaram no telhado as demais munições e tentaram se desfazer da arma. A dupla foi localizada pelos policiais civis após o recebimento de denúncias anônimas relatando que homens de Pernambuco estariam na localidade, armados e em atitudes suspeitas.

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima através do Disque Denúncia 181.

Policia Civil de Macaíba prendeu dois indivíduos por roubos

Após diligências policiais sob o comando do Delegado Cidorgeton (Tony) na área rural de Macaíba no povoado Lamarão conseguiram prender em flagrante delito os dois indivíduos
Moto encontrada com os indivíduos (Foto:Divulgação/Redes Sociais)

Informações Polícia Civil

Na manhã deste quarta 31 julho 2019, investigadores policiais civis da delegacia de Macaíba, sob o comando do DPC CIDORGETON (TONY), efetuaram diligências policiais na área rural de Macaíba (povoado Lamarão) e conseguiram prender em flagrante delito as pessoas de JOÃO PAULO ABREU DE MEDEIROS e JOÃO PAULO SILVA FAUSTINO.

Esses dois elementos, portando armas de fogo e em tom ameaçador, tomaram de assalto a motocicleta de um cidadão (QUE TERÁ SEU NOME PRESERVADO) que circulava por estrada carroçável que liga os povoados de LAMARÃO e PÉ DO GALO, e seguia a caminho de seu local de trabalho.

Contando com o auxílio de informações privilegiadas, os policiais localizaram a área de mato onde os dois tinham escondido a motocicleta roubada e ato contínuo a casa onde eles mesmos estavam intocados. A moto do cidadão foi recuperada e os dois elementos serão flagranteados pelo DPC TONY e em seguida entregues a justiça que, em audiência de custódia, decidirá se eles permanecerão ou não encarcerados.