“Cidadão de bem” mata taxista por nada na frente de uma escola

O ocorreu em João Pessoa (PB), na última sexta-feira.
O corretor Gustavo Correia (reprodução/redes sociais)

Um crime bárbaro chocou a cidade de João Pessoa (PB) no fim da tarde desta sexta-feira (15). O corretor de imóveis Gustavo Teixeira Correia, 43, tirou a vida do taxista Damião dos Santos, de 42 anos.

O assassinato aconteceu em um horário de grande circulação de pessoas na frente de um supermercado e de uma escola em um bairro nobre da capital paraibana. Tudo foi registrado por testemunhas e câmeras de segurança.

Segundo a Polícia Militar, a motivação do crime teria sido uma discussão de trânsito. No entanto, imagens mostram (ver abaixo) que o bate-boca não durou mais do que 10 segundos.

Pragmatismo Político conversou com funcionários do Supermercado BeMais. Eles afirmaram que houve uma pequena troca de xingamentos entre os homens, até que Gustavo Correia saca a sua arma e dispara vários tiros contra o taxista à queima roupa, sem chances de defesa.

Nas imagens, que foram gravadas pelo sistema de câmeras da escola, é possível ver que o taxista Damião tentava estacionar o carro em frente ao supermercado, em uma vaga reservada para táxis.

Gustavo Correia estava no banco do passageiro no veículo branco que vinha imediatamente atrás. Ele se incomoda com a manobra feita pelo taxista e desce do carro para tirar satisfação com Damião. Segundo a PM, Gustavo estaria voltando para casa, alcoolizado.

A Polícia Militar informou que Damião dos Santos foi alvejado por três tiros. Ele foi socorrido e encaminhado ao Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, mas não resistiu aos ferimentos.

O momento do crime:

Mais informações

Conheça a trajetória de Ricardo Boechat falecido hoje em acidente aéreo

O jornalista iniciou sua carreira na década de 1970, como repórter do extinto jornal “Diário de Notícias”. Ele também trabalhou nos jornais O Globo, O Dia, O Estado de São Paulo e Jornal do Brasil.

Jornalista apresentava programa de rádio na Band News (Foto: Divulgação/BAND)

Por Carolina Farias e Ana Cora Lima, do UOL

Ricardo Eugênio Boechat, 66, morreu nesta segunda-feira (11) em um acidente de helicóptero, em São Paulo.

Ele era casado pela segunda vez com Veruska Seibel, desde 2005, e tinha duas filhas com ela: Valentina, 12, e Catarina, 10. Ele deixa outros quatro filhos: Bia, 40, Rafael, 38, Paula, 36, e Patricia, 29, frutos do casamento com Claudia Costa de Andrade.

Nascido em Buenos Aires, ele era filho da argentina Mercedes Carrascal, de 86 anos, que vive em Niterói desde 1956.

O jornalista iniciou sua carreira na década de 1970, como repórter do extinto jornal “Diário de Notícias”. Em 1983, foi para o jornal “O Globo” e, quatro anos mais tarde, chegou a ocupar a secretaria de secretaria de Comunicação Social no governo Moreira Franco, mas voltou para o jornal da família Marinho em 1989, como editor da coluna “Swann”, que mais tarde, foi transformada em “Boechat”.

Vencedor de vários prêmios, entre eles, o Esso, na categoria Informação Política, com Rodrigo França, em 1992; na categoria Informação Econômica, com Chico Otávio e Bernardo de la Peña, em 2001. Boechat também trabalhou nos jornais, “O Dia”, “O Estado de S. Paulo” e “Jornal do Brasil”.

Em 1997, o jornalista passou a ser destaque na rede Globo, no qual fazia um quadro de opinião no matinal “Bom Dia Brasil”. Sempre com notas de sua coluna que renderam pautas aprofundadas, sucesso e polêmicas. Deixou a Globo em junho de 2001.

Entrou para o Grupo Bandeirantes como diretor de Jornalismo no Rio. Em fevereiro de 2006, mudou-se para São Paulo, para ancorar o “Jornal da Band”, principal noticiário da emissora. Desempenhava a mesma função no programa diário na rádio BandNews FM, transmitido para todo o Brasil. Assinava ainda uma coluna semanal na revista “IstoÉ”, com a colaboração de Ronaldo Herdy.

É autor do livro “Copacabana Palace – Um Hotel e Sua História” (DBA, 1998), que resgatou a trajetória do hotel mais exclusivo e sofisticado do país, completando 75 anos de existência no ano da publicação.

Em sua última coluna na revista “IstoÉ”, que levou o título “Acabou a Folia”, ele falou, entre outros assuntos, de corrupção, da dança das cadeiras com a troca de poder no Senado e da tragédia de Brumadinho. A última coluna foi publicada na sexta-feira (8).

Em seu último programa na manhã desta segunda-feira (11) na rádio, Boechat falou das grandes tragédias que acontecem no Brasil que ficaram sem punição.

Jornalista Ricardo Boechat morre em queda de helicóptero em SP

Além de Boechat, piloto e copiloto morreram carbonizados após aeronave cair na rodovia.

Destroços de helicóptero no Rodoanel próximo à rodovia Anhanguera (Reprodução/ TV Globo)

Da Folha de São Paulo

O jornalista Ricardo Boechat, 66, morreu após a queda de um helicóptero em São Paulo nesta segunda-feira (11).

A informação foi confirmada pela Folha. Mais cedo, o Corpo de Bombeiros informou que duas pessoas tinham morrido após um helicóptero cair sobre um caminhão em trecho do Rodoanel que dá acesso à rodovia Anhanguera, na zona oeste de São Paulo.

Eles seriam o piloto e o copiloto da aeronave, segundo as informações preliminares da corporação. A confirmação de que o jornalista era um dos ocupantes veio mais tarde.

O jornalista trabalhava atualmente no Grupo Bandeirantes de Comunicação, apresentando dois programas diários, A Notícia com Ricardo Boechat, um matinal na rádio BandNews FM, e o Jornal da Band à noite, na TV Bandeirantes. Ele tinha também uma coluna na revista semanal Istoé.

Boechat é ganhador de três prêmios Esso. É também o maior ganhador do Prêmio Comunique-se.

Nota

O Macaíba News lamenta a morte desse grande jornalista brasileiro, que, certamente, era um dos melhores deste país. Desejamos o conforto espiritual à família e amigos.

FNF LAMENTA INCIDENTE NO CT DO FLAMENGO; CONFIRA A NOTA

Federação Norte-rio-grandense de Futebol, emite nota de pesar sobre tragédia no Centro de Treinamento do Flamengo.

Foto: Reprodução/FNF

Site FNF

A Federação Norte-rio-grandense de Futebol lamenta profundamente a tragédia que aconteceu no centro de treinamento do Flamengo, em Várzea Grande, no interior do Rio de Janeiro. O presidente da FNF, José Vanildo da Silva, se solidariza e manifesta os sentimentos ao clube, amigos e familiares dos jogadores neste momento de profunda dor.

Em razão do incidente, será prestado um minuto de silêncio às vítimas dessa tragédia nos jogos da última rodada da Copa Cidade do Natal, que acontecem neste domingo (10).

Incêndio em alojamento deixa 10 mortos no Centro de Treinamento do Flamengo

O Fogo atingiu alojamento das categorias de base do time no Ninho do Urubu, em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio. Não há identificação dos mortos. Três adolescentes saíram feridos.

Parte das instalações do CT do Flamengo devastadas pelas chamas (Foto: Arquivo pessoal)

Jovens atletas do Flamengo estão entre os dez mortos em um incêndio em um alojamento no Ninho do Urubu, na Zona Oeste do Rio, no início da manhã desta sexta-feira (8). O Fla-Flu deste sábado, válido pela semifinal da Taça Guanabara, deve ser adiado. O governador Wilson Witzel decretou luto oficial de três dias.

As chamas atingiram as instalações onde dormiam jogadores entre 14 e 17 anos que não residiam no Rio. Ainda não há identificação dos mortos. Os bombeiros chegaram a dizer que todos eram adolescentes, mas não há informações oficiais.

Às 9h50, a polícia chegou ao Ninho do Urubu para fazer a perícia. Um inquérito foi instaurado na 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes) para apurar as causas do desastre.

Três adolescentes ficaram feridos, um deles em estado grave, e foram levados para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra:

  1. Cauan Emanuel Gomes Nunes, 14 anos, de Fortaleza (CE);
  2. Francisco Diogo Bento Alves, 15 anos;
  3. Jonathan Cruz Ventura, 15 anos, em estado mais grave.

Às 8h40, Jonathan foi levado às pressas para o centro cirúrgico. Ele sofreu queimaduras em 40% do corpo e será transferido para o Hospital Municipal Pedro II, em Santa Cruz.

Os três feridos são de fora do Rio de Janeiro. Funcionários e médicos do clube estiveram na unidade e a expectativa é de poder transferir os meninos assim que a situação for estabilizada. Abaixo, confira a reportagem da Band News:

Tragédia: homem morre atropelado na manhã deste domingo em Macaíba

O motorista do veículo foi detido pela Polícia Militar e estaria com sintomas de embriaguez.

Foto: Reprodução/Senadinho Macaíba

Do Senadinho Macaíba

Uma tragédia vitimou um homem de 55 anos, de iniciais J.B.D.S, que morreu atropelado no início da manhã deste domingo (08/10) em plena calçada da Rua Professor Caetano, no centro de Macaíba, nas imediações da entrada do Pax Club.

Segundo informações, a vítima  que trabalhava com a venda de batatas, foi atingida por um veículo desgovernado que transitava em alta velocidade pela via. O trabalhador veio a óbito ainda no local. O motorista do veículo, tipo Gol (quadrado) de cor branca, foi detido pela Polícia Militar e estaria com sintomas de embriaguez.

Além de atingir o homem, o veículo também danificou as portas de duas lojas, chegando, inclusive, a quase invadir uma delas.

Motociclista morre em Natal após ter pescoço cortado por linha de pipa

Vítima da tragédia, Antônio Jorge (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

Do G1

Um motociclista de 47 anos morreu ao ter a garganta cortada por uma linha de pipa com cerol. O caso aconteceu nesta terça-feira (21), na Avenida Tocantínea, uma das principais do bairro Pajuçara, na Zona Norte de Natal. Antônio Jorge de Lima ainda foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro, mas não resistiu ao ferimento no pescoço.

De acordo com o registro feito no posto policial da Polícia Militar, o motoqueiro trafegava pela pista local, por volta das 20h. A linha com o material cortante atingiu o pescoço e ele caiu da moto. Testemunhas disseram que Jorge pediu socorro e os moradores da região o levaram para a UPA Pajuçara, mas ele morreu ao chegar lá.

O corpo de Jorge está no Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep). A vítima era auxiliar administrativo de uma escola. A irmã do motociclista, Antônia Aparecida, lamentou a morte trágica do irmão e estava revoltada com o uso do cerol nas linhas. Segundo ela, Jorge deixa três filhos