Sob forte comoção, professora de dança morta em acidente de trânsito em Natal é sepultada

Carro em que estava Gislâne Cruz colidiu com veículo que seguia na contramão na Zona Sul da capital. Motorista que provocou acidente foi preso com suspeita de embriaguez.
A professora de dança Gislâne Cruz do Nascimento, de 26 anos, morreu em um acidente de trânsito — Foto: Redes sociais

Matéria do G1 RN

O sepultamento de Gislâne Cruz, nesta segunda-feira (20), foi marcado por comoção e revolta entre familiares e amigos da professora de dança, que morreu em um acidente de carro no domingo (19), em Natal. Ela foi sepultada no Cemitério Parque Vila Flor, em Macaíba, na Região Metropolitana da capital potiguar.

Gislâne Cruz do Nascimento tinha 26 anos e era professora do Colégio Salesiano, onde foi velada durante a noite do domingo e a manhã desta segunda. A missa de corpo presente também aconteceu na escola, que anunciou que não haverá aula hoje.

De acordo com o Comando de Policiamento Rodoviário Estadual (CPRE), Gislâne seguia em um carro com uma motorista que trabalha em um aplicativo de transporte de passageiros. A professora estava a caminho de uma academia onde daria uma aula. O veículo em que elas estavam seguia no sentido Candelária no prolongamento da Avenida Prudente de Morais, na Zona Sul, quando se deparou com outro automóvel, que ia na contramão. Houve uma batida.

Após a colisão, o carro em que as duas estavam capotou. Gislâne foi a única a morrer no acidente. Segundo o CPRE, dois homens, que tinham sinais de embriaguez, estavam no veículo que seguia na contramão. O motorista, o oficial de Justiça Josias Teixeira de Morais, 62 anos, foi preso. Ele participará de uma audiência de custódia marcada para as 14h desta segunda-feira (20).

A mulher que dirigia o automóvel em que estava a professora, Beverly Iane Ramalho, relatou como tudo aconteceu. “Eu pedi para ela botar o cinto. Ela botou o cinto, eu botei o cinto e seguimos viagem. Quando eu peguei a Prudente de Morais, passando próximo ao Sest, veio o carro e colidiu conosco. Ele vinha na contramão e colidiu na traseira do meu carro. Eu estava no sentido Candelária e ele vinha na lateral do Sest Senat e entrou na contramão”, conta.a

Ultraleve desaparece no litoral potiguar, diz PM

Casal estaria na aeronave, que sumiu na manhã desta sexta-feira (3) em Nísia Floresta.
Helicóptero da FAB auxilia nas buscas ( Foto:PMRN/Divulgação)

Por G1 RN

Um ultraleve desapareceu na manhã desta sexta-feira (3) no litoral potiguar. De acordo com a Polícia Militar, os ocupantes da aeronave são um casal que costuma fazer passeios na área de Nísia Floresta, na região metropolitana da capital, mas que não retornou.

Como não conseguiram contatos com o casal e a aeronave não teria autonomia para voar tanto tempo, as autoridades de segurança pública foram acionadas.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, que também foi acionado para a região, a decolagem aconteceu por volta das 9h. Buscas são realizadas em uma região de mata no distrito de Tororomba.

Além do Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar afirmou que a Força Aérea Brasileira foi informada. Um helicóptero da FAB dá apoio às buscas.

Câmara abrirá CPI para investigar tragédia de Brumadinho

A comissão será composta por 43 integrantes titulares, com igual número de suplentes e funcionará inicialmente por 120 dias. A CPI foi sugerida pelos deputados Joice Hasselmann (PSL-SP), Carlos Sampaio (PSDB-SP) e Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ). O despacho que autoriza a instalação, assinado pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi lido hoje (16) no plenário da Casa.
Foto: Reprodução/Internet

Por Agência Brasil

A Câmara dos Deputados instalará na terça-feira (23) uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para averiguar as causas e os responsáveis pelo rompimento da barragem da mineradora Vale em Brumadinho (MG), que aconteceu no dia  25 de janeiro. Na reunião, deverão ser escolhidos o presidente, o vice-presidente e o relator do colegiado.

A comissão será composta por 43 integrantes titulares, com igual número de suplentes e funcionará inicialmente por 120 dias. A CPI foi sugerida pelos deputados Joice Hasselmann (PSL-SP), Carlos Sampaio (PSDB-SP) e Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ). O despacho que autoriza a instalação, assinado pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi lido hoje (16) no plenário da Casa.

Comissão externa

Atualmente, a Câmara dos Deputados já investiga a tragédia de Brumadinho (MG) por meio de uma comissão externa. Na semana passada, parlamentares integrantes da comissão apresentaram oito anteprojetos de lei para viabilizar o enfrentamento de riscos a que estão expostas as populações que vivem próximas às barragens de rejeitos da mineração. As propostas estão disponíveis para consulta pública e podem receber sugestões dos interessados no tema.

“Propomos legislações que não permitam que crimes como os de Mariana e Brumadinho aconteçam e, ao mesmo tempo, deem sustentabilidade e segurança à mineração”, disse o presidente da comissão externa, deputado Zé Silva (Solidariedade-MG).

Entre outros pontos, os anteprojetos aperfeiçoam as normas para monitoramento e fiscalização da atividade de mineração no Brasil e o licenciamento ambiental do setor; acabam com isenções tributárias das empresas da área; reforçam a Defesa Civil e a Política Nacional de Proteção de Barragens; tipificam a conduta criminosa do responsável pelas barragens; e instituem um fundo para ações emergenciais decorrentes de desastres causados pela mineração.

O Senado instalou, no dia 13 de março, uma CPI para apurar as causas da tragédia de Brumadinho.

Queda de ponte no Pará deixa ao menos cinco desaparecidos, diz governo

As cinco pessoas compunham a tripulação da balsa que atingiu um dos pilares da terceira das quatro pontes do complexo
Vista aérea da ponte que desabou no Pará após uma balsa colidir em um dos pilares (Foto: Reprodução/Governo do Pará)

Do UOL

O governador do Pará, Hélder Barbalho (MDB), afirmou hoje que ao menos cinco pessoas estão desaparecidas após a queda de parte da ponte da Alça Viária, que fica sobre o rio Moju, próximo ao município de Barcarena, no interior do Pará.

As cinco pessoas compunham a tripulação da balsa que atingiu um dos pilares da terceira das quatro pontes do complexo. Já o Corpo de Bombeiros não divulgou o número de desaparecidos e diz que realiza buscas e que não foram localizados tripulantes e documentação da embarcação.

O desabamento aconteceu na madrugada de hoje depois que uma balsa que navegava no rio colidiu com um dos pilares da ponte. De acordo com o governador, 200 dos 860 metros da ponte desabaram. O governador informou que uma testemunha afirmou que, no momento do desabamento, dois carros trafegavam pela ponte e caíram no rio.

“Estamos com a equipe do Corpo de Bombeiros fazendo as buscas e também solicitamos à Capitania dos Portos, que já está indo [ao local] com uma embarcação com embarcação com radar para colaborar”, disse o governador durante uma entrevista coletiva. Horas antes, ele havia feito um sobrevoo na região onde o acidente aconteceu.

De acordo com a testemunha com quem o governador disse ter conversado, os tripulantes da balsa teriam tentado evitar a colisão duas vezes antes da colisão.

“A balsa teria perdido o controle. Houve uma primeira tentativa de frear a balsa, mas não teria sido exitosa. Na segunda, teria paralisado o motor da balsa e a partir daí, ela, à deriva, se colidiu com a ponte.”

Helder Barbalho, governador do Pará

O governador disse que as autoridades ainda não conseguiram contatar os cinco tripulantes da balsa e também não conseguiram saber a quantidade de pessoas que estariam nos veículos.

A ponte afetada é a terceira de um conjunto de quatro pontes do complexo Alça Viária construído sobre o rio Moju, próximo ao trevo do Acará. Ela fica na rodovia PA-483 e ajuda a conectar a região metropolitana de Belém com o interior do estado.

Segundo Helder Barbalho, a Polícia Civil já está investigando o caso. A proprietária da balsa, cujo nome não foi divulgado, já teria sido contatada e estaria indo ao local para prestar esclarecimentos.

Trabalho de resgate

O governador do Pará afirmou que mergulhadores do Corpo de Bombeiros e uma embarcação da Capitania dos Portos com radar serão utilizados nos trabalhos de busca de possíveis vítimas do acidente.

Três corpos são encontrados por trás da Vila Olímpica de Macaíba

Comandante do 11º Batalhão da PM, o tenente-coronel Fábio Araújo disse que, em razão de os corpos estarem cobertos, ainda não foi possível verificar o sexo nem o que causou as mortes.
Fachada do Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (Foto: Reprodução/ITEP RN)

Do Connecttv Macaíba

Três corpos, enrolados em lençóis, foram encontrados na manhã desta sexta-feira (5) em uma região por trás da Vila Olímpica de Macaíba, na Grande Natal.

Comandante do 11º Batalhão da PM, o tenente-coronel Fábio Araújo disse que, em razão de os corpos estarem cobertos, ainda não foi possível verificar o sexo nem o que causou as mortes.

“Moradores da região sentiram um mau cheiro, e depois que viram que eram três cadáveres, fomos chamados”, acrescentou o oficial.

“Cidadão de bem” mata taxista por nada na frente de uma escola

O ocorreu em João Pessoa (PB), na última sexta-feira.
O corretor Gustavo Correia (reprodução/redes sociais)

Um crime bárbaro chocou a cidade de João Pessoa (PB) no fim da tarde desta sexta-feira (15). O corretor de imóveis Gustavo Teixeira Correia, 43, tirou a vida do taxista Damião dos Santos, de 42 anos.

O assassinato aconteceu em um horário de grande circulação de pessoas na frente de um supermercado e de uma escola em um bairro nobre da capital paraibana. Tudo foi registrado por testemunhas e câmeras de segurança.

Segundo a Polícia Militar, a motivação do crime teria sido uma discussão de trânsito. No entanto, imagens mostram (ver abaixo) que o bate-boca não durou mais do que 10 segundos.

Pragmatismo Político conversou com funcionários do Supermercado BeMais. Eles afirmaram que houve uma pequena troca de xingamentos entre os homens, até que Gustavo Correia saca a sua arma e dispara vários tiros contra o taxista à queima roupa, sem chances de defesa.

Nas imagens, que foram gravadas pelo sistema de câmeras da escola, é possível ver que o taxista Damião tentava estacionar o carro em frente ao supermercado, em uma vaga reservada para táxis.

Gustavo Correia estava no banco do passageiro no veículo branco que vinha imediatamente atrás. Ele se incomoda com a manobra feita pelo taxista e desce do carro para tirar satisfação com Damião. Segundo a PM, Gustavo estaria voltando para casa, alcoolizado.

A Polícia Militar informou que Damião dos Santos foi alvejado por três tiros. Ele foi socorrido e encaminhado ao Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, mas não resistiu aos ferimentos.

O momento do crime:

Mais informações

Conheça a trajetória de Ricardo Boechat falecido hoje em acidente aéreo

O jornalista iniciou sua carreira na década de 1970, como repórter do extinto jornal “Diário de Notícias”. Ele também trabalhou nos jornais O Globo, O Dia, O Estado de São Paulo e Jornal do Brasil.

Jornalista apresentava programa de rádio na Band News (Foto: Divulgação/BAND)

Por Carolina Farias e Ana Cora Lima, do UOL

Ricardo Eugênio Boechat, 66, morreu nesta segunda-feira (11) em um acidente de helicóptero, em São Paulo.

Ele era casado pela segunda vez com Veruska Seibel, desde 2005, e tinha duas filhas com ela: Valentina, 12, e Catarina, 10. Ele deixa outros quatro filhos: Bia, 40, Rafael, 38, Paula, 36, e Patricia, 29, frutos do casamento com Claudia Costa de Andrade.

Nascido em Buenos Aires, ele era filho da argentina Mercedes Carrascal, de 86 anos, que vive em Niterói desde 1956.

O jornalista iniciou sua carreira na década de 1970, como repórter do extinto jornal “Diário de Notícias”. Em 1983, foi para o jornal “O Globo” e, quatro anos mais tarde, chegou a ocupar a secretaria de secretaria de Comunicação Social no governo Moreira Franco, mas voltou para o jornal da família Marinho em 1989, como editor da coluna “Swann”, que mais tarde, foi transformada em “Boechat”.

Vencedor de vários prêmios, entre eles, o Esso, na categoria Informação Política, com Rodrigo França, em 1992; na categoria Informação Econômica, com Chico Otávio e Bernardo de la Peña, em 2001. Boechat também trabalhou nos jornais, “O Dia”, “O Estado de S. Paulo” e “Jornal do Brasil”.

Em 1997, o jornalista passou a ser destaque na rede Globo, no qual fazia um quadro de opinião no matinal “Bom Dia Brasil”. Sempre com notas de sua coluna que renderam pautas aprofundadas, sucesso e polêmicas. Deixou a Globo em junho de 2001.

Entrou para o Grupo Bandeirantes como diretor de Jornalismo no Rio. Em fevereiro de 2006, mudou-se para São Paulo, para ancorar o “Jornal da Band”, principal noticiário da emissora. Desempenhava a mesma função no programa diário na rádio BandNews FM, transmitido para todo o Brasil. Assinava ainda uma coluna semanal na revista “IstoÉ”, com a colaboração de Ronaldo Herdy.

É autor do livro “Copacabana Palace – Um Hotel e Sua História” (DBA, 1998), que resgatou a trajetória do hotel mais exclusivo e sofisticado do país, completando 75 anos de existência no ano da publicação.

Em sua última coluna na revista “IstoÉ”, que levou o título “Acabou a Folia”, ele falou, entre outros assuntos, de corrupção, da dança das cadeiras com a troca de poder no Senado e da tragédia de Brumadinho. A última coluna foi publicada na sexta-feira (8).

Em seu último programa na manhã desta segunda-feira (11) na rádio, Boechat falou das grandes tragédias que acontecem no Brasil que ficaram sem punição.

Jornalista Ricardo Boechat morre em queda de helicóptero em SP

Além de Boechat, piloto e copiloto morreram carbonizados após aeronave cair na rodovia.

Destroços de helicóptero no Rodoanel próximo à rodovia Anhanguera (Reprodução/ TV Globo)

Da Folha de São Paulo

O jornalista Ricardo Boechat, 66, morreu após a queda de um helicóptero em São Paulo nesta segunda-feira (11).

A informação foi confirmada pela Folha. Mais cedo, o Corpo de Bombeiros informou que duas pessoas tinham morrido após um helicóptero cair sobre um caminhão em trecho do Rodoanel que dá acesso à rodovia Anhanguera, na zona oeste de São Paulo.

Eles seriam o piloto e o copiloto da aeronave, segundo as informações preliminares da corporação. A confirmação de que o jornalista era um dos ocupantes veio mais tarde.

O jornalista trabalhava atualmente no Grupo Bandeirantes de Comunicação, apresentando dois programas diários, A Notícia com Ricardo Boechat, um matinal na rádio BandNews FM, e o Jornal da Band à noite, na TV Bandeirantes. Ele tinha também uma coluna na revista semanal Istoé.

Boechat é ganhador de três prêmios Esso. É também o maior ganhador do Prêmio Comunique-se.

Nota

O Macaíba News lamenta a morte desse grande jornalista brasileiro, que, certamente, era um dos melhores deste país. Desejamos o conforto espiritual à família e amigos.

FNF LAMENTA INCIDENTE NO CT DO FLAMENGO; CONFIRA A NOTA

Federação Norte-rio-grandense de Futebol, emite nota de pesar sobre tragédia no Centro de Treinamento do Flamengo.

Foto: Reprodução/FNF

Site FNF

A Federação Norte-rio-grandense de Futebol lamenta profundamente a tragédia que aconteceu no centro de treinamento do Flamengo, em Várzea Grande, no interior do Rio de Janeiro. O presidente da FNF, José Vanildo da Silva, se solidariza e manifesta os sentimentos ao clube, amigos e familiares dos jogadores neste momento de profunda dor.

Em razão do incidente, será prestado um minuto de silêncio às vítimas dessa tragédia nos jogos da última rodada da Copa Cidade do Natal, que acontecem neste domingo (10).

Incêndio em alojamento deixa 10 mortos no Centro de Treinamento do Flamengo

O Fogo atingiu alojamento das categorias de base do time no Ninho do Urubu, em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio. Não há identificação dos mortos. Três adolescentes saíram feridos.

Parte das instalações do CT do Flamengo devastadas pelas chamas (Foto: Arquivo pessoal)

Jovens atletas do Flamengo estão entre os dez mortos em um incêndio em um alojamento no Ninho do Urubu, na Zona Oeste do Rio, no início da manhã desta sexta-feira (8). O Fla-Flu deste sábado, válido pela semifinal da Taça Guanabara, deve ser adiado. O governador Wilson Witzel decretou luto oficial de três dias.

As chamas atingiram as instalações onde dormiam jogadores entre 14 e 17 anos que não residiam no Rio. Ainda não há identificação dos mortos. Os bombeiros chegaram a dizer que todos eram adolescentes, mas não há informações oficiais.

Às 9h50, a polícia chegou ao Ninho do Urubu para fazer a perícia. Um inquérito foi instaurado na 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes) para apurar as causas do desastre.

Três adolescentes ficaram feridos, um deles em estado grave, e foram levados para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra:

  1. Cauan Emanuel Gomes Nunes, 14 anos, de Fortaleza (CE);
  2. Francisco Diogo Bento Alves, 15 anos;
  3. Jonathan Cruz Ventura, 15 anos, em estado mais grave.

Às 8h40, Jonathan foi levado às pressas para o centro cirúrgico. Ele sofreu queimaduras em 40% do corpo e será transferido para o Hospital Municipal Pedro II, em Santa Cruz.

Os três feridos são de fora do Rio de Janeiro. Funcionários e médicos do clube estiveram na unidade e a expectativa é de poder transferir os meninos assim que a situação for estabilizada. Abaixo, confira a reportagem da Band News: