Governo abre chamada pública destinada aos Hospitais privados para contratação de UTIs

Inicialmente, o Hospital Memorial, em Natal, deve abrir mais sete UTIs até o próximo sábado, pelo SUS.
Foto: Elisa Elsie/ASSECOM RN

Na entrevista coletiva da manhã desta quinta-feira, 18, Petrônio Spinelli, secretário adjunto de Saúde do Estado, disse que, para reforçar a oferta de assistência aos casos de Covid-19, o Governo publicou uma chamada pública para hospitais privados disponibilizarem leitos de UTI pelo SUS e que, inicialmente, o Hospital Memorial, em Natal, deve abrir mais sete UTIs até o próximo sábado.

Ele informou também que para ampliar a oferta de leitos críticos “todo o Governo está realizando uma grande força tarefa, inclusive com a participação direta da governadora Fátima Bezerra, para desbloquear leitos nos Hospitais Giselda Trigueiro e João Machado em Natal”. Leitos bloqueados são aqueles que precisam de algum equipamento e/ou de profissionais para trabalhar.

Spinelli voltou a alertar que é muito importante que as prefeituras abram leitos nas cidades. “O desafio é de todos. Os Planos de Contingência municipais devem ser implantados efetivamente. Esta situação dramática de hoje só vai melhorar se o Pacto pela Vida se intensificar e a sociedade aumentar o isolamento social. O Pacto pela Vida é extremamente necessário, particularmente em Natal e região metropolitana da capital”, reforçou.

DADOS

A ocupação de leitos continua alta. Hoje os leitos Covid estão 100% ocupados na região Oeste, em Pau dos Ferros (Alto Oeste) e em Guamaré (Mato Grande). Em Natal e Grande Natal a ocupação é de 96,8%. No Seridó, 74%.

A fila de regulação tem 12 pacientes com prioridade 1 e 77 prioridade 2. Pacientes com estas prioridades aguardam transferência para UTIs e semi-utis. A demanda maior acontece em Natal e municípios da região metropolitana.

Os casos suspeitos são 24.641, confirmados 15.889, descartados 24.974, óbitos 655 (11 confirmados nas últimas 24 horas) e 109 óbitos em investigação. Há 760 pessoas estão internadas em hospitais das redes pública, privada e filantrópica – 358 em leitos críticos.